PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Torcida apoia de prédio, mas time raiz de Paris perde do Lyon nos pênaltis

Red Star e Lyon em jogo pela Copa da França - Tiago Leme
Red Star e Lyon em jogo pela Copa da França Imagem: Tiago Leme

Tiago Leme

Colaboração para o UOL, de Paris

08/04/2021 17h44

O Red Star chegou perto de surpreender novamente na Copa da França, resistiu bravamente e, mais uma vez, contou com o apoio de sua torcida em um prédio vizinho ao estádio Bauer, mas foi o favorito Lyon que avançou para as quartas de final da Copa da França. Com emoção até o fim, a equipe visitante venceu apenas nos pênaltis, por 5 a 4, após abrir dois gols de diferença e sofrer o empate, por 2 a 2, no tempo normal. Com um gol e uma assistência, o brasileiro Lucas Paquetá teve atuação decisiva no duelo disputado em um campo acanhado nos subúrbios de Paris. Um verdadeiro futebol raiz.

torcedores nas janelas - Divulgação/Red Star - Divulgação/Red Star
Torcedores apoiaram o Red Star das janelas do prédio vizinho ao estádio Bauer
Imagem: Divulgação/Red Star

Assim como na fase anterior, quando o Red Star tinha se classificado com uma vitória de virada sobre o Lens, por 3 a 2 com um gol no último minuto, os torcedores assistiram à partida nas janelas e terraços de um edifício residencial que fica bem atrás do estádio. Com as arquibancadas vazias por causa das restrições do novo coronavírus, esta foi a maneira encontrada pelos fanáticos para acompanharem o time de perto, com direito a bandeiras e fogos de artifício.

torcedores no prédio - Divulgação/Red Star - Divulgação/Red Star
Torcedores assistem ao jogo do Red Star do prédio vizinho ao estádio Bauer
Imagem: Divulgação/Red Star

Alguns moradores do prédio abordados pela reportagem do UOL Esporte chegaram a falar, em tom de brincadeira, que cobrariam 100 euros para quem quisesse ver o jogo de dentro da casa deles. A polícia reforçou a segurança nos arredores para evitar aglomerações e impediu uma festa maior, já que a França está com regras de confinamento em função da covid. Clube centenário tradicional na França, fundado em 1897 por Jules Rimet, com valores humanistas e engajado em causas sociais, o Red Star tem sede na comuna de Saint-Ouen, uma área pobre localizada ao norte de Paris.

"Desta vez, o jogo é mais tarde e muitos não podem sair na rua por causa do confinamento, mas a gente sempre dá um jeito de apoiar o Red Star. Eu moro no bairro e esta equipe nos representa, representa uma classe social mais baixa dos subúrbios de Paris. Independentemente do resultado, para nós, é um orgulho este espírito de luta que os jogadores mostram", afirmou o torcedor Laurent Bernard.

Emoção até o fim e decisão por pênaltis

Red Star x Lyon - Tiago Leme - Tiago Leme
Red Star enfrentou o Lyon pela Copa da França
Imagem: Tiago Leme

Com a bola rolando no gramado de sintético já bastante desgastado, a qualidade técnica superior do Lyon se sobressaiu, mas a entrega e a força física dos donos da casa equilibrou o duelo em determinados momentos. Aos 28 minutos do primeiro tempo, após um erro do goleiro Adiceam na saída de bola, o brasileiro Thiago Mendes tocou para o compatriota Paquetá abrir o placar. O segundo gol saiu aos 45 minutos, em mais um vacilo defensivo do Red Star, Paquetá serviu o atacante holandês Memphis Depay, que ampliou.

Depois do intervalo, o panorama mudou. O gol de Meissa Ba, que descontou aos 16 minutos, colocou emoção no jogo. E aos 29 minutos, em uma bela cobrança de falta de Jimmy Roye, a equipe do norte de Paris empatou em 2 a 2. Gol que fez os torcedores cantarem ainda mais alto, acenderem sinalizadores e soltarem fogos no prédio ao lado. Nos instantes finais, o Red Star suportou a pressão dos visitantes, e a partida foi para a decisão por pênaltis.

Juninho Pernambucano - Tiago Leme - Tiago Leme
Juninho Pernambucano, diretor de futebol do Lyon, acompanhou o jogo contra o Red Star nas tribunas do estádio Bauer ao lado do presidente do clube, Jean-Michel Aulas
Imagem: Tiago Leme

Igualdade no tempo normal em uma competição tradicional em que clubes pequenos e até amadores da França têm a oportunidade de enfrentar e desafiar equipes maiores. "Copa da França é sempre assim, jogos duros, campos pequenos", afirmou o brasileiro Juninho Pernambucano, diretor de futebol do Lyon, que acompanhou o jogo nas tribunas do estádio Bauer ao lado do presidente do clube, Jean-Michel Aulas.

Nas cobranças de pênalti, o Lyon acertou os cinco chutes, entre eles com Paquetá, Bruno Guimarães e Marcelo, enquanto Diego Michel desperdiçou para a equipe verde, parando na defesa do goleiro Pollesrbeck. Placar final dos pênaltis 5 a 4, e comemoração do favorito que disputa o título da primeira divisão do Campeonato Francês. Do outro lado, aplausos da pequena torcida raiz e orgulho pela resistência demonstrada pelo time que agora segue na luta para voltar à Ligue 2, a segunda divisão do país.

Nesta sexta-feira, acontece o sorteio para definir os confrontos das quartas de final da Copa da França, que serão disputadas também em jogo único no dia 21 de abril. Além do Lyon, garantiram vaga na próxima fase o Paris Saint-Germain, Mônaco, Montpellier, Angers (esses cinco times da primeira divisão), Toulouse (segunda divisão), Canet Roussillon e Rumilly-Vallières (ambos da quarta divisão). A final será realizada no dia 19 de maio no Stade de France.

Futebol