PUBLICIDADE
Topo

Atlético-MG

Mecenas diz que Atlético-MG incomoda, e fará bonito para pagar dívidas

Rubens Menin, conselheiro e investidor do Atlético-MG - Bruno Cantini/Atlético-MG
Rubens Menin, conselheiro e investidor do Atlético-MG Imagem: Bruno Cantini/Atlético-MG

Guilherme Piu

Do UOL, em Belo Horizonte

29/03/2021 17h39

A situação financeira dos clubes brasileiros não é boa, principalmente por conta do impacto da pandemia nos cofres das equipes. Dentre as agremiações que passam por dificuldades está o Atlético-MG, que divulgará em abril o balanço patrimonial de 2020 com dívida total estimada em mais de R$ 1 bilhão. Apesar do montante bilionário em débitos, o empresário Rubens Menin, mecenas que injeta dinheiro no departamento de futebol atleticano e faz parte do comitê colegiado de gestão que está à frente do Galo, garante que há soluções para os problemas alvinegros.

Na visão de Menin, o Atlético-MG possui patrimônio para quitar importantes pendências e pagará suas dívidas "fazendo bonito". O assunto da imensa dívida atleticana rodou o Brasil no noticiário esportivo. A avaliação do empresário sobre essa repercussão é que o Galo "incomoda" a concorrência.

O mecenas ainda cutucou o rival Cruzeiro, outro clube que passa por imensa dificuldade financeira — e também ultrapassou a casa do bilhão em dívidas.

"O Atlético está construindo um estádio, tem metade de um shopping, tem um plantel avaliado em cerca de R$ 600 milhões. Ué! Com todo respeito, mas quem tem problemas é o Botafogo e o Cruzeiro que não têm patrimônio, o Atlético tem patrimônio e tem como pagar suas contas. Eles se incomodam porque sabem que o Galo vai fazer bonito", disse em entrevista ao Fala Galo, site alinhado aos atuais dirigentes, inclusive destacando publicidades da MRV, empresa da família Menin, e de outros patrocinadores do Atlético-MG [como o banco BMG].

Credor do Atlético-MG, Rubens Menin já investiu mais de R$ 300 milhões no departamento de futebol do clube. Esse valor engloba pagamento de salários, contratação de jogadores e quitação de dívidas com outros clubes na Fifa.

O empresário já disse em outras oportunidades que não cobrará juros pelos empréstimos e que aguardará tais pagamentos quando o Galo puder fazê-los. E aposta em uma gestão mais profissional no clube.

"Não falamos que ia ser fácil, nunca é. Vocês sabem das dificuldades para construir o estádio, mas estão vendo a maravilha que está acontecendo. O Atlético precisa se profissionalizar e está começando a fazer isso. Estamos enxugando desde o ano passado mais de R$ 100 milhões em excessos com cargos, altos salários e desperdícios", revelou, dando mais detalhes dessa política.

"Enxugamos desde esse novo período mais de R$ 100 milhões com super salários e estamos ajustando o clube aos valores e práticas do mercado. Não é possível sanear um clube com desperdícios. Teve não sei quando, uma viagem, acho que para Uberlândia, que foi cheia de excessos, não pode fazer isso com os recursos do clube", comentou.

Atlético-MG