PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

Presidente do Defensa fala em acerto de Crespo com o São Paulo; clube nega

Hernán Crespo deixou Defensa y Justicia e pode se tornar o novo treinador do São Paulo - Pool/Getty Images
Hernán Crespo deixou Defensa y Justicia e pode se tornar o novo treinador do São Paulo Imagem: Pool/Getty Images

Thiago Fernandes

Do UOL, em São Paulo

08/02/2021 04h00Atualizada em 08/02/2021 19h44

O presidente do Defensa y Justicia, Jose Lemme, disse ao UOL Esporte, na noite de ontem (7), que Hernan Crespo deixou o clube para se acertar com o São Paulo no mercado da bola. A diretoria tricolor nega o acordo neste momento. Procurado por meio de mensagem telefônica, o mandatário foi sucinto ao ser perguntado se o argentino optou pela saída para fechar com os paulistas:

"Sim [ele nos disse que deixou o Defensa y Justicia para fechar com o São Paulo]", escreveu o dirigente, que ainda negou que haja multa rescisória por sua saída do clube e também revelou que não recebeu qualquer contato de membros da atual diretoria são-paulina sobre o interesse pelo treinador. Ao ser questionado sobre outros detalhes do acordo, ele disse: "O importante é que ele saiu do Defensa y Justicia, as demais situações têm solução".

A diretoria do São Paulo ainda não confirma a contratação do seu novo treinador, mantendo cautela nas tratativas. No entanto, informa que fez contato com alguns nomes que podem ir ao Morumbi no mercado da bola. Crespo foi um dos técnicos consultados por membros do departamento do futebol do clube com o intuito de entender os seus pensamentos sobre o futebol.

Segundo o comentarista Arnaldo Ribeiro, do podcast Posse de Bola, do UOL Esporte, o ex-centroavante foi o último dos entrevistados no processo seletivo promovido pela diretoria do São Paulo e foi o único para qual o clube fez uma proposta oficial —para um contrato de dois anos. O acerto depende de pequenos detalhes, como a questão financeira e o staff que poderá acompanhar o treinador no Brasil.

"O presidente do Defensa y Justicia diz que já está acertado com o São Paulo, mas tem uma série de detalhes, porque o técnico estrangeiro tem indexação da moeda, multa contratual, staff, porque não vem sozinho, é sempre assim em comissão técnica estrangeira, vêm quatro, cinco, e aí para mim, a curiosidade é, sendo estrangeiro, e vai ser, como vai funcionar o São Paulo, que tem lá o Muricy Ramalho como coordenador técnico", explicou Arnaldo.

O jornalista aponta que Crespo ficou valorizado por levar o modesto time do Defensa y Justicia ao título da Copa Sul-Americana e, além do São Paulo, também recebeu sondagens do Santos e da seleção chilena.

Hernan Crespo tinha contrato com o Defensa y Justicia até junho de 2021. O argentino de 45 anos se reuniu com a diretoria do clube de Florencio Varela na tarde de ontem e informou que não permaneceria até o fim do vínculo.

Antes de deixar o Defensa y Justicia, Hernán Crespo treinou outros três clubes. Ele iniciou a carreira no Parma Sub-19, time que defendeu entre 2014 e 2015. Na temporada seguinte, trabalhou no Modena, também da Itália. Em 2017 e 2018, ele voltou ao Parma para trabalhar no elenco profissional. O primeiro trabalho em seu país natal foi no Banfield, em 2018 e 2019. Ele chegou ao Defensa y Justicia em 2020 e ficou até a noite de ontem.

Análise: chegada de Crespo facilitaria transição

Arnaldo Ribeiro também analisou no Posse de Bola o trabalho de Crespo e considera uma aposta válida, até por não alterar muito a característica do jogo já praticado no Morumbi, o que aconteceu nas trocas anteriores de técnicos.

"O Crespo foi no processo seletivo o último a ser entrevistado, mas era uma alternativa óbvia, um técnico jovem, promissor, recente campeão da opa Sul-Americana pelo pequeno Defensa y Justicia, e mais, com um tipo de jogo, com ideias não tão distantes das ideias que, de certa forma o Diniz disseminou no São Paulo. Não é a mesma coisa, mas não é uma ruptura total, como poderia ser", afirma o jornalista.

"O São Paulo viveu esses últimos anos, Aguirre joga de um jeito, Diniz é completamente o oposto. Seria uma forma de aproveitar um pouco o que foi plantado lá, com uma característica própria sim, mas sem uma ruptura completa. Não deixa de ser uma aposta, uma aposta internacional, que eu acho que vale, eu sempre acho que vale, nós acabamos de dizer aqui, quais são as possibilidades brasileiras interessantes no mercado? São poucas", completa.

Com o acerto próximo, Arnaldo afirma que a ideia do São Paulo é contar com o técnico próximo do time comandado pelo interino Vizolli, com previsão de chegada no início da próxima semana.

"O São Paulo que joga na quarta-feira contra o Ceará ainda pelo Brasileiro, ainda sem garantir vaga na fase de grupos da Copa Libertadores ano que vem, com o comando do Vizolli. A ideia já era até ter anunciado o Crespo ou o novo treinador no domingo à noite, não foi possível, as negociações continuam e, talvez, aí nessa mesma segunda-feira, a gente tenha o martelo batido", explica.

"A ideia é que o novo treinador chegue no início da próxima semana, em pleno Carnaval, Carnaval brasileiro esvaziado, e que, se não assuma o time, que esteja próximo nos três últimos jogos do campeonato, incluindo a partida contra o Palmeiras, que foi adiada para a próxima sexta-feira, depois de São Paulo e Ceará, depois de Grêmio e São Paulo. Eu sempre acho interessante a ideia da aposta, e é uma aposta, em técnico jovem sul-americano com capacidade demonstrada e com potencial demonstrado, mais do que aposta em técnico brasileiro", conclui.

"O São Paulo começou sonhando altíssimo, entrevistou vários portugueses lá, o euro está até mais valioso que o dólar, os dois estão lá nas alturas, e foi filtrando até chegar mais próximo, e eu sempre entendo que o cara que vive o calendário sul-americano, que disputa a Sul-Americana, a Libertadores, que sabe o que é o time brasileiro, tem uma vantagem", completa.

São Paulo