PUBLICIDADE
Topo

Brasileirão - 2020

Fluminense encara Botafogo e é 'inspiração' ao rival em luta contra a queda

Jogadores do Fluminense celebram gol contra o Coritiba, em 2009; Jogadores do Botafogo comemoram gol contra o Santos em 2020 - Fotos de photocamera e Victor Silva / Botafogo
Jogadores do Fluminense celebram gol contra o Coritiba, em 2009; Jogadores do Botafogo comemoram gol contra o Santos em 2020 Imagem: Fotos de photocamera e Victor Silva / Botafogo

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

24/01/2021 04h00

Classificação e Jogos

Fluminense e Botafogo fazem um clássico que pode ser considerado um duelo de inspiração. Na lanterna do Campeonato Brasileiro, com 23 pontos, o Alvinegro, para se livrar do rebaixamento, precisa de uma arrancada 'milagrosa' como a que o Tricolor deu em 2009, quando o "time de guerreiros" contrariou a matemática e conseguiu garantir a permanência na Série A. O confronto acontece hoje (24), às 20h30, em São Januário devido ao fato de o Maracanã estar à disposição da Conmebol para a final da Libertadores.

O Glorioso, segundo dados da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e do "Infobola", tem 99% de chance de queda à Série B. De acordo com projeções, para afastar tal possibilidade, a equipe precisaria alcançar 44 pontos na competição, o que representa a necessidade de mais 21 pontos. Ou seja, 100% de aproveitamento nas sete rodadas restantes. O Bahia, hoje primeira equipe a não estar na degola, tem 32 pontos.

Eduardo Barroca, o quinto técnico do Botafogo na temporada, chegou a General Severiano já com a missão de salvar a equipe da queda, mas não vem tendo êxito. Desde a chegada dele, até aqui, foram oito derrotas e apenas um triunfo. Com ele à beira do gramado — contra Internacional e São Paulo ele esteve fora por ter testado positivo para Covid-19 —, foram seis derrotas e uma vitória.

Antes de Barroca, o Glorioso teve à beira do gramado começou 2020 com Alberto Valentim, e teve ainda Paulo Autuori, Bruno Lazaroni e Ramón Díaz, que acabou demitido antes mesmo de estrear.

"Nenhuma equipe está em uma situação como a que nos encontramos nesse momento por um único motivo. Esse momento é de falar pouco e sentir muito. Honrar a camisa do clube, trabalhar muito todos os dias, passo a passo, dia a dia para que a gente possa já no próximo jogo reverter esse cenário, que desportivamente é extremamente adverso", disse, após a derrota para o Atlético-GO, na última quarta-feira.

E o primeiro passo neste desafio é justamente contra o Fluminense, equipe que já conseguiu tal façanha há pouco mais de uma década. Em 2009, a matemática também apontava o time das Laranjeiras com apenas 1% de chance de permanência, mas o Flu surpreendeu, arrancou e deu um novo final a uma história que já parecia favas contadas.

Torcida do Fluminense levou faixa de arrancada que livrou clube do rebaixamento em 2009 - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Recentemente, torcida do Flu levou ao Maracanã a faixa "lutem até o fim", usada em 2009
Imagem: Arquivo pessoal

Naquela temporada, o Flu contava com jogadores como o meia Conca, remanescente do vice-campeonato da Libertadores no ano anterior, e tinha o reforço do atacante Fred, que estava no Lyon, da França. O camisa 9 que sofreu com uma lesão em boa parte do ano, retornou na reta final e ajudou a equipe a atingir o objetivo.

À beira do gramado, a temporada começou com René Simões e passou por Gilson Gênio, Parreira, Vinícius Eutrópio e Renato Gaúcho, até chegar em Cuca, que chegou em setembro daquele ano com a incumbência de salvar o time.

Ao término da 27ª rodada, o Tricolor era o último colocado com 21 pontos, sete a menos que o Santo André, primeiro fora da zona de rebaixamento. Nas últimas 11 partidas, porém, foram quatro empates e sete vitórias, sequência que fez os comandados de Cuca alcançarem 46 pontos e carimbarem o "fico". Na última rodada, empate com o Coritiba em 1 a 1 e permanência garantida, jogando "a matemática para escanteio", como o UOL Esporte relatou à época. Naquele ano, caíram Coxa, Santo André, Náutico e Sport

"Eu ficava p? da vida com o Tristão Garcia [matemático] porque ele era o dono daquele número de 99% de risco de rebaixamento. Eu sabia do risco, mas assumi mesmo assim. Depois desse ano, prometi para mim mesmo que nunca mais aceitaria assumir uma equipe nessa situação. Foi um desgaste muito grande, mas valeu a pena", salientou Cuca, em entrevista ao programa "Jogos para Sempre", do SporTV, em 2018.

A façanha fez com o Flu ganhasse a alcunha de "Time de Guerreiros", que foi adotado pela torcida, que canta até hoje nas arquibancadas, e pelo próprio clube, que usa em diversas ações oficiais.

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE X BOTAFOGO

Competição: Campeonato Brasileiro, 32ª rodada
Data: 24 de janeiro de 2021, domingo
Horário: 20h30 (de Brasília)
Local: São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Edina Alves Batista (SP)
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Neuza Ines Back (SP)
VAR: Jose Claudio Rocha Filho (SP)

Fluminense: Marcos Felipe, Calegari, Luccas Claro, Matheus Ferraz e Egídio; Martinelli, Yago e Michel Araújo; Luiz Henrique, Lucca (Nenê) e John Kennedy (Wellington Silva). Técnico: Marcão

Botafogo: Diego Cavalieri, Kevin, Marcelo Benevenuto, Kanu (Sousa) e Victor Luis; Zé Welison, Caio Alexandre e Bruno Nazário; Warley, Matheus Babi e Matheus Nascimento. Técnico: Eduardo Barroca