PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

Diniz celebra liderança: "grande momento do São Paulo e da minha carreira"

Thiago Fernandes

Do UOL, em São Paulo

03/12/2020 22h28

Classificação e Jogos

Fernando Diniz acredita que vive a sua melhor versão a cada dia. Depois da vitória por 3 a 0 sobre o Goiás, que garantiu a liderança do Brasileirão ao São Paulo, o técnico disse que passa por um grande momento na carreira, destaca a fase do time paulista, mas reitera a necessidade de evolução.

Em entrevista coletiva após o jogo da noite de hoje, o técnico são-paulino destacou a boa fase no Morumbi:"É sempre difícil responder, mas é um grande momento do São Paulo e da minha carreira. A maneira como o time está evoluindo e nas coisas subjetivas que não aparecem com tanta clareza para vocês que assistem. A amizade, superação, trabalho em equipe estão cada vez mais harmoniosas. Isso fica mais fácil na parte técnica", afirmou.

"A minha melhor versão é a de hoje, mas quando foi ontem era a de ontem. Quando eu estava no Fluminense, era a do Fluminense. O resultado é momentâneo na vida, nada dura para sempre. Eu sou um cara apaixonado por aquilo que faço, amo futebol e amo ajudar os jogadores. Hoje pode ser o momento de melhor resultado, mas tem sempre que melhorar. Amanhã, quando perder, não estou no melhor momento. A minha vida é ter dedicação, empenho e fazer as coisas da melhor maneira possível. Todo mundo luta para conquistar e buscar os meios para conquistar as coisas. O time está na liderança do campeonato, o que me alegra muito, sempre quis na minha vida. A gente tem que ter consciência e trabalhar para melhorar", acrescentou.

Em que pese a celebração pelo momento, Fernando Diniz alega que é preciso melhorar muita coisa no elenco: "Primeiro, tem sempre bastante coisa para melhorar, até pela maneira tática e modelo de jogo que adotamos aqui. A gente sempre pode melhorar, e melhorar bastante".

Confira, abaixo, outros trechos da coletiva de Fernando Diniz:

Oscilação no São Paulo: "Oscilação é uma coisa normal no futebol, assim como na vida. A maneira como a equipe passou por momentos mais difíceis fez com que atingíssemos um patamar que estamos atingindo agora. Isso faz com que você adquira uma certa estabilidade. Ainda há os aspectos subjetivos, as relações humanas dos jogadores. Pelas vezes que a gente oscilou, a gente teve um sofrimento muito grande. A gente pagou a derrota que a gente sofreu do Mirassol. As dores que o time sofreu no passado fez com que o time fosse sofrendo, aprendendo com as relações internas e conseguisse o melhor de cada um. A gente tem que pensar no Sport agora. Os jogos do Campeonato Brasileiro são todos difíceis. As partidas podem até ficar fáceis, mas nunca são fáceis de antemão. Sempre que achamos que um jogo seria fácil, tivemos dificuldades".

Retorno de Arboleda: "O Arboleda é um jogador e uma pessoa que sempre tive uma relação muito boa. Ele, assim como o Bruno, teve momento que saiu do time e voltou. Os dois voltaram melhor que saíram. Temos quatro jogadores para duas vagas, qualquer um que jogar vai muito bem. O Reinaldo e o Luan também vão bem quando precisam jogar ali. A gente tem que ter consciência que precisa continuar melhorando. É um processo, a chegada é só no final do campeonato. Muita gente disputando algo no campeonato. É um campeonato extremamente duro, a gente tem que seguir melhorando e trablhando forte".

Jogo sem sofrer gols: "É importante não tomar gols, mas mais importante que não tomar gols é vencer. Fazer três gols e não tomar nenhum reforça o trabalho de todo mundo. Hoje, de maneira especial, a equipe se manteve focada e inibiu as chances do Goiás de marcar".

Destaque de Gabriel Sara pelo São Paulo: "Em relação ao Sara, é muito fácil trabalhar com o Sara. Ele tem uma maneira de jogar futebol que se encaixa de maneira perfeita com aquilo que penso do jogo. Técnico, dinâmico, solidário, ajuda em todas as fases do jogo. É um jogador muito completo. Eu vislumbrei que ele seria esse tipo de jogador. Ele pode ir longe em qualquer lugar que estiver. É muito importante contar com o Sara, é importante por tudo aquilo que faz para o time todo. Às vezes, é preciso um lugar mais técnico. Ele facilita o movimento que outros fazem. Dificilmente, você encontra o Sara sem trabalhar no jogo. Ou ele está trabalhando ou abrindo espaço para outros jogadores".

São Paulo