PUBLICIDADE
Topo

Botafogo

Boca x River e boato: como acabou afeto entre Maradona e ex-técnico do Bota

Ramon Diaz e Maradona posam lado a lado (agachados) antes de jogo Argentina x Itália na Copa de 1982 - Peter Robinson/EMPICS via Getty Images
Ramon Diaz e Maradona posam lado a lado (agachados) antes de jogo Argentina x Itália na Copa de 1982 Imagem: Peter Robinson/EMPICS via Getty Images

Caio Blois e Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

27/11/2020 04h00

Ramon Díaz, é mais um dos personagem que ajuda a contar a história de Diego Armando Maradona nos gramados e, assim como muitos outros, experimentou os dois lados da moeda na convivência com o craque. O argentino, anunciado como técnico do Botafogo no começo do mês, acabou demitido hoje (27), sem nem sequer estrear à beira do gramado.

Uma das promessas do futebol argentino, Díaz formou com o camisa 10 uma dupla que acendeu as esperanças dos hinchas. Em 1979, os dois foram decisivos para a conquista argentina no Mundial sub-20, disputado no Japão. O atacante fez oito gols, terminou como o artilheiro do torneio, e Diego, com seis, foi coroado o melhor jogador da competição.

Além do protagonismo dentro das quatro linhas, os dois compartilhavam de uma forte identidade fora do gramado. De origem humilde, Díaz e Maradona foram próximos enquanto defendiam a mesma camisa. Mas a rivalidade falaria mais alto e colocaria os dois em lados opostos e transformaria amizade em distância.

Três anos depois, a dupla foi convocada para a Copa do Mundo da Espanha, mas o relacionamento já não era mais o mesmo e o motivo seria a rivalidade entre Boca Juniors e River Plate. Já contratado pela equipe de La Boca, Maradona via no amigo, cria e ídolo do grande adversário, um grande rival.

Os dois nunca mais foram próximos e um boato envenenou de vez o relacionamento, pois houve quem afirmasse que Díaz ficou fora da Copa de 1986, no México, após intervenção direta do "Diez". A versão foi rechaçada por Maradona no livro "Yo soy el Diego (Eu sou o Diego)", mas o alvinegro não digeriu bem o episódio.

Fato é que ainda houve encontros em lados opostos. Já técnico dos Millonarios, Díaz encarou o antigo companheiro em sua nova passagem pelo Boca. Na ocasião, um frio aperto de mãos foi o que restou do reencontro.

Apesar das idas e vindas, o treinador não deixou passar em branco a morte do ídolo. Em suas redes sociais, ele postou uma foto antiga de ambos e deixou uma mensagem curta:

"Descanse em paz, Diego. Minhas condolências para toda sua família".

Demissão do Botafogo

Ramón Díaz foi o escolhido para ocupar a vaga deixada por Bruno Lazaroni, mas nem sequer esteve à beira do gramado. O treinador se recupera de uma cirurgia, mas o problema de saúde não é tão simples quanto o imaginado anteriormente. Com o time em crise e lutando contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro, a diretoria entendeu que não havia como esperar pelo comandante e acertou o retorno de Eduardo Barroca.

A comissão técnica esteve à frente do time em três partidas, nas derrotas para o Red Bull Bragantino, Fortaleza e Atlético-MG. Em penúltimo colocado, com 20 pontos, há a necessidade de vitórias a curto prazo.

Botafogo