PUBLICIDADE
Topo

Santos

Santos vira contra Olimpia em Assunção e vai às oitavas da Libertadores

Carlos Sánchez comemora gol do Santos contra o Olimpia em jogo da Libertadores - NORBERTO DUARTE / POOL / AFP
Carlos Sánchez comemora gol do Santos contra o Olimpia em jogo da Libertadores Imagem: NORBERTO DUARTE / POOL / AFP

Do UOL, em São Paulo

01/10/2020 21h00

Classificação e Jogos

O Santos garantiu vaga nas oitavas de final da Libertadores com uma vitória por 3 a 2 sobre o Olimpia na noite de hoje, em Assunção. Os gols do triunfo santista foram marcados por Carlos Sánchez, de pênalti, Marinho, de falta, e Kaio Jorge. Recalde marcou os dois do time paraguaio.

A terceira vitória do Santos fora de casa na Libertadores teve duas viradas, já que a equipe brasileira saiu na frente, com Sánchez, e viu o Olimpia fazer 2 a 1. No começo da etapa final, Kaio Jorge recolocou os santistas à frente, depois de empate de Marinho no fim do primeiro tempo.

O jogo também foi marcado pelo fim de dois jejuns de gols. Sánchez foi às redes depois de 23 jogos, enquanto Kaio Jorge encerrou uma seca de 15 partidas.

A equipe santista soma agora 13 pontos na competição, com quatro vitórias e um empate. O Defensa y Justicia, da Argentina, tem seis. O Olimpia, cinco pontos. O Delfín, do Equador, quatro.

Na próxima rodada, a última da fase de grupos, o Santos recebe o Defensa y Justicia na Vila Belmiro. O duelo será no dia 20 de outubro. Já o Olimpia enfrenta o Delfín novamente em Assunção, no mesmo dia 20.

Os melhores: Sánchez e João Paulo

O uruguaio conseguiu enfim voltar às redes depois de oito meses e 23 jogos. O meia abriu o placar de pênalti no primeiro tempo. Na etapa final, mesmo com condição de concluir a gol, deixou Kaio Jorge livre para marcar o terceiro gol santista no jogo. O goleiro do Santos, por sua vez, garantiu a vitória com pelo menos quatro defesas difíceis na etapa final.

O pior: Azcona

O goleiro do Olimpia falhou no segundo gol do Santos na partida, marcado por Marinho no fim do primeiro tempo, quando o time paraguaio vencia por 2 a 1. O camisa 11 santista cobrou falta pelo lado do campo e viu Azcona ser enganado depois de a bola bater no gramado.

Santos inicia no 3-4-3

Cuca - NORBERTO DUARTE / POOL / AFP - NORBERTO DUARTE / POOL / AFP
Imagem: NORBERTO DUARTE / POOL / AFP

O técnico Cuca escalou o time com três zagueiros, dois alas, dois jogadores no meio-campo e três atacantes. Pará e Madson se alternaram na função de ala e zagueiro. A estratégia fez a equipe santista tomar a iniciativa do jogo mesmo jogando fora de casa. O esquema foi deixado para trás no fim do primeiro tempo. Madson, então, atuou na zaga ao lado de Alex, com Pará na lateral.

Sánchez desencanta

Com dois alas em campo, o Santos conseguiu criar uma jogada que resultou em pênalti. Madson aproveitou uma bola na área, tomou à frente do adversário e sofreu falta. Na cobrança, Sánchez deslocou o goleiro e abriu o placar. O uruguaio não marcava desde fevereiro, com 23 partidas de jejum.

Virada em Assunção

Depois de fazer 1 a 0, o Santos recuou e permitiu que o Olimpia jogasse em seu campo. Em busca do resultado para se manter vivo na Libertadores, os paraguaios conseguiram empatar seis minutos depois, com Recalde, que aproveitou espaço dado por Madson e cabeceou para marcar. O meia voltou a balançar a rede dali a 12 minutos em uma finalização rasteira, depois de levar a melhor sobre Pará.

Marinho empata

Marinho - Divulgação/Santos FC - Divulgação/Santos FC
Imagem: Divulgação/Santos FC

Uma das armas do Santos no primeiro tempo foi a bola parada, sempre com Marinho. Na primeira chance, ainda com o placar em branco, o camisa 11 cobrou uma falta com força, mas mandou para fora. Aos 41, pelo lado do campo, o atacante alçou a bola na área e viu o goleiro Azcona se enganar e sofrer o gol.

Fim de outro jejum

Santos - NORBERTO DUARTE / POOL / AFP - NORBERTO DUARTE / POOL / AFP
Imagem: NORBERTO DUARTE / POOL / AFP

Assim como Carlos Sánchez, Kaio Jorge colocou fim a um jejum sete meses e 15 jogos sem marcar. O jovem atacante aproveitou uma assistência de Sánchez para recolocar o Santos na frente. Com calma, deslocou o goleiro e chutou forte na pequena área.

João Paulo garante o triunfo

Em grande fase, o goleiro do Santos fez pelo menos quatro defesas importantes depois do terceiro gol santista. Numa delas, evitou um gol de bicicleta de Leguizamón. Em seguida, defendeu uma cabeçada de Montenegro. Minutos depois, fez o mesmo em finalização de Recalde. Nos acréscimos, evitou o empate em nova conclusão de Montenegro.

FICHA TÉCNICA

OLIMPIA 2 X 3 SANTOS

Data: 1º de outubro, quinta-feira
Horário: 19h (de Brasília)
Competição: Libertadores (quinta rodada da fase de grupos)
Árbitro: Nestor Pitana (ARG)
Assistentes: Martin Soppi (URU) e Carlos Barrero (URU)
Cartões amarelos: Recalde, Azcona e Leguizamón (Olimpia); Alex, Jobson e Raniel (Santos)

Gols: Sánchez aos 14, Recalde, aos 21 e 33, Marinho, aos 39 minutos do primeiro tempo, e Kaio Jorge, aos 12 minutos do segundo tempo.

OLIMPIA: Azcona; Benítez (De La Cruz), Leguizamón, Alcaraz e Arias; Domingo, Rojas, Alejandro Silva (Montenegro) e Recalde (Otálvaro); Camacho (Santa Cruz) e Pitta (Rojas). Técnico: Daniel Garnero

SANTOS: João Paulo; Pará, Madson, Alex e Felipe Jonatan; Jobson (Ivonei), Diego Pituca e Carlos Sánchez (Alison); Marinho, Soteldo (Lucas Braga) e Kaio Jorge (Raniel). Técnico: Cuca

Santos