PUBLICIDADE
Topo

Santos

Cuca cita Santos à mercê de polêmica com Peres: "reflete em campo"

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

28/09/2020 04h00

O técnico Cuca sabe que esta segunda-feira é um dia politicamente conturbado nos bastidores do Santos. Após o empate por 1 a 1 com o Fortaleza, o Peixe terá uma reunião que pode ser decisiva no Conselho Deliberativo.

O colegiado vota um parecer da Comissão de Inquérito de Sindicância (CIS) que sugere o afastamento imediato do atual presidente José Carlos Peres do cargo. A decisão é baseada na reprovação das contas do último ano.

"Eu tive particularmente um dia muito ruim, porque amanhã teremos um dia conturbado aqui no Santos, um dia que pode acontecer uma série de coisas politicamente, estamos à mercê disso. Amanhã tudo pode acontecer, mudar tudo. Hoje passei o dia falando com advogado, é um peso muito grande, as coisas têm de se organizar para fora de campo tenhamos paz. Isso reflete dentro de campo, a gente sabe tudo o que ocorre, isso afeta no prosseguimento. Que a gente possa ficar ileso disso para quinta fazermos um bom jogo contra o Olimpia", afirmou Cuca.

O treinador chegou ao Peixe sabendo da punição imposta pela Fifa que impedia o clube de registrar novos jogadores, mas trabalhou nas últimas semanas para conseguir a liberação. Quando esteve perto de poder registrar reforços acertados, como Elias, Laércio, Thaciano e Zé Welison, uma nova punição abateu o Santos e proibiu o clube de contratar jogadores pelas próximas três janelas.

O Conselho Deliberativo santista se reúne nesta noite de forma virtual para votar o parecer da CIS em reunião que promete ser conturbada. Existem diferentes entendimentos sobre o Estatuto do Santos versus as leis do Profut. Enquanto uma ala deve defender o afastamento imediato de Peres e toda a diretoria por "gestão temerária", outra ala deve votar pela convocação de uma assembleia geral de sócios para votação de um possível novo processo de impeachment do atual mandatário.

Santos