PUBLICIDADE
Topo

Santos

No Equador, Santos se depara com primeira polêmica da gestão Peres

Jackson Porozo (dir.), zagueiro equatoriano que passou pelo Santos - Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC
Jackson Porozo (dir.), zagueiro equatoriano que passou pelo Santos Imagem: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

24/09/2020 04h00

O Santos enfrenta o Delfín na noite de hoje (24) no estádio Jocay, em Manta, às 23h (de Brasília), pela fase de grupos da Copa Libertadores. O nome da cidade equatoriana não é estranho ao torcedor santista: foi da outra equipe de lá, o Manta FC, que veio o zagueiro Jackson Porozo, a primeira polêmica da gestão do presidente José Carlos Peres.

O defensor de 20 anos foi contratado pelo Peixe em março de 2018, após realizar teste na base do rival Palmeiras. Como não tinha 18 anos na época, ele só se apresentou ao Santos no segundo semestre e já chegou cercado de expectativas e polêmicas.

A expectativa era de ver o jogador no profissional muito em breve. Porozo era figura carimbada e destaque nas seleções de base de seu país e chegou a ser convocado para a equipe principal do Equador enquanto esteve na Vila Belmiro. Mesmo assim, ele nunca subiu ao profissional santista.

A polêmica surgiu em junho, em relatório do Conselho Fiscal sobre as contas do primeiro semestre da gestão de José Carlos Peres. No documento, o Santos revelava ter pago 350 mil euros (R$ 1,5 milhão na cotação na época) por 100% dos direitos econômicos do jogador.

O problema é que, sem justificativa aparente, o Peixe se comprometia a repassar 30% dos direitos do jogador à empresa Hi Talent LTDA, fundada por Ricardo Crivelli, o Lica, até então um dos dirigentes da base santista trazidos por Peres. Lica havia deixado a empresa em 2015 e foi substituído por Eduardo Brito de Mello, que tinha o mesmo endereço residência de Lica, segundo documentos.

Na época, o relatório ainda citava que Lica e Peres eram sócios em outra empresa de gestão esportiva, a Saga Talent, encerrada em maio de 2018 — já durante a gestão do mandatário à frente do clube.

O presidente santista admitiu que houve um erro no contrato do jogador, afirmou que não repassaria a porcentagem para a Hi Talent e o episódio ocasionou a saída de Daniel Bykoff, então diretor jurídico.

Porozo foi negociado com o Boavista (POR), em agosto, por 500 mil euros (R$ 3,2 milhões) sem nunca ter atuado pelo profissional. Pessoas do cotidiano do Santos com quem o UOL Esporte conversou afirmam que não viam empenho no atleta durante os treinamentos, muito menos destaque suficiente para subir ao profissional.

No fim das contas, em teoria, o Alvinegro Praiano lucrou 150 mil euros com o jogador. O valor ainda não caiu nos cofres santistas por questões burocráticas, já que o zagueiro aguarda visto de trabalho em Portugal.

    FICHA TÉCNICA:

    DELFÍN x SANTOS

    Copa Libertadores da América - Fase de Grupos
    Data: 24/09/2020, quinta-feira
    Horário: 23h (de Brasília)
    Local: estádio Jocay, em Manta (EQU)
    Árbitro: Kevin Ortega (PER)
    Assistentes: Michael Orue (PER) e Jonny Bossio (PER)

    SANTOS: João Paulo; Pará, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Diego Pituca, Carlos Sánchez e Arthur Gomes (Jean Mota ou Lucas Lourenço); Marinho, Soteldo e Raniel (Kaio Jorge). Técnico: Cuca

    DELFÍN: Coroso (Banguera); Jonathan Gonzalez, Luis Canga, Carlos Rodriguez e Geovanny Nazareno; Charles Velez, João Ortis, Jr Benitez e Janer Corzo; Carlos Garces e Jose Valencia. Técnico: Miguel Ángel Zahzú

    Santos