PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Com gol no fim, São Paulo bate Corinthians, vence 3ª seguida e é vice-líder

Do UOL, em São Paulo

30/08/2020 13h00

Classificação e Jogos

O São Paulo venceu o Corinthians por 2 a 1, hoje (30), no Morumbi, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro. Sob forte calor na capital paulista, o clássico foi marcado por falhas dos goleiros Cássio e Tiago Volpi e teve um gol decisivo de Brenner no fim da partida. Hernanes e Ramiro fizeram os outros gols do confronto.

Com o resultado, o São Paulo assumiu a vice-liderança do Brasileiro, com 13 pontos, ultrapassando o Vasco na tabela de classificação —embora com um jogo a mais. A liderança pertence ao Internacional, com 15. Foi também a terceira vitória consecutiva do Tricolor. Antes do clássico, a equipe dirigida por Fernando Diniz vinha de vitórias por 1 a 0 sobre Sport e Athletico-PR.

O Corinthians perdeu invencibilidade de três partidas e já não vence há duas rodadas -o time de Tiago Nunes vinha de empate contra o Fortaleza em casa. A derrota deixa a equipe alvinegra com cinco pontos em cinco jogos, ocupando a parte do meio da tabela de classificação.

Na próxima rodada, o Corinthians volta a atuar como visitante, diante do Goiás, no estádio da Serrinha, na quarta-feira (2), às 19h15. O São Paulo enfrentará o Atlético-MG, na quinta-feira (3), às 20h, no Mineirão.

Cronologia

O São Paulo assumiu o controle da partida nos primeiros 15 minutos. Teve mais iniciativa, com marcação no ataque e sem dar chances para o Corinthians ir ao ataque. E essa pressão resultou no gol que abriu o placar. Aos 14 minutos, Hernanes cobrou falta no meio do gol. Cássio foi engando pela curva e falhou no lance.

Ao sair na frente, o jogo ficou do jeito que o São Paulo gosta, controlando a posse de bola. A primeira finalização do Corinthians saiu apenas aos 27 minutos, com Jô, em um chute fraco para fácil defesa de Tiago Volpi.

Após a parada técnica para hidratação, porém, o Corinthians chegou ao empate. Aos 36 minutos, Cantillo fez lançamento e encontrou Ramiro livre nas costas de Liziero. Ele chutou fraco e cruzado. Volpi ainda bateu na bola, mas a deixou passar para o gol.

Na etapa final, o ritmo das equipes foi mantido sem grandes sustos. Muitos erros de passe e pouca criatividade, influenciados pelo desgaste provocado pelo calor, deixaram o clássico sem brilho.

O São Paulo ainda testou Cássio em duas finalizações. Aos 5min, o goleiro corintiano trabalhou em um cabeceio de Pablo no canto direito. E sete minutos depois, Paulinho Boia chutou para nova defesa do goleiro alvinegro.

Após os 15 minutos e cinco substituições, o ritmo do clássico melhorou. A melhor chance foi do Corinthians em uma arrancada de Gustavo Mosquito pelo lado direito. Ele invadiu a área e chutou cruzado para boa defesa de Volpi.

Mas no fim, o São Paulo conseguiu o gol da vitória. Após cruzamento da esquerda de Toró, Brenner acertou belo cabeceio no canto direito. Os dois garotos "made in Cotia" decidiram.

O melhor: Fernando Diniz

Sim, o criticado técnico do São Paulo, mesmo. Fernando Diniz não entra em campo, mas as substituições feitas pelo comandante tricolor foram cirúrgicas. E duas delas foram decisivas para o gol que deu ao São Paulo a vitória para o Corinthians. Brenner, que entrou em lugar de Paulinho Boia, marcou de cabeça após receber cruzamento de Toró, o substituto de Luciano. Além disso, lidando com as ausências de Reinaldo e Daniel Alves, ele pôs em campo um time com escalação bem mais ofensiva do que poderia se imaginar num clássico.

Os piores: goleiros

Ao contrário do que aconteceu no Majestoso do Campeonato Paulista, em fevereiro deste ano, Cássio e Tiago Volpi falharam. O corintiano deixou passar uma cobrança de falta de Hernanes no meio do gol. Já o são-paulino não impediu que a fraca conclusão de Ramiro terminass na rede.

Hernanes de volta e protagonista

O Profeta voltou ao time titular do São Paulo para substituir Daniel Alves, que sofreu uma fratura no braço direito. Aos 35 anos, mostrou sua moral ao vestir a faixa de capitão e deixou sua marca em uma cobrança de falta. Sem aguentar o ritmo físico do clássico, ele deixou o campo aos 28 minutos do segundo tempo para a entrada de Luan.

Jejum corintiano

O Corinthians não vence no Morumbi há três anos. O último triunfo do time alvinegro no estádio do São Palo foi em 2017, pela semifinal do Campeonato Paulista. Depois disso, foram três empates e quatro vitórias do São Paulo. Pelo Brasileirão, a última vitória do Corinthians como visitante no Majestoso foi em 2010.

Nova zaga são-paulina leva gol, mas segue invicta

A nova dupla de zaga do São Paulo perdeu a invulnerabilidade, mas segue invicta. Diego Costa e Léo Pelé foram escalados como titulares na defesa nas últimas duas partidas —1 a 0 contra Sport e Athletico-PR. Contra o Corinthians, a dupla levou o primeiro gol, com Ramiro aparecendo entre Léo Pelé e Liziero. Mas o time ainda não perdeu com essa formação.

Aqui, a nota interessante: mesmo com o desfalque de Reinaldo, Diniz não deslocou Léo para sua posição de origem, preferindo trazer Liziero para compor a linha defensiva. Lembrando que, em seus melhores momentos na base são-paulina, Liziero jogava justamente pela lateral. No profissional, acabou migrando para o meio-campo praticamente em tempo integral.

Reencontro com Léo Natel

O clássico teve o reencontro de Léo Natel com o São Paulo. O atacante jogou nas categorias de base do time tricolor e foi alçado ao time profissional em 2017 por Rogério Ceni. Ele chegou ao Corinthians no meio do ano. Pertencia ao São Paulo, mas já havia assinado pré-contrato. Em campo, teve atuação apagada e pouco levou perigo pelo lado esquerdo do ataque.

Recorde de Cássio

Cássio subiu mais uma posição entre os recordistas de número de jogos com a camisa do Corinthians. Na derrota contra o São Paulo, o goleiro alcançou a marca de 474 partidas, igualando-se a Rivellino na nona colocação. O próximo da lista é Olavo, com 506 jogos. O atleta que mais atuou pelo Corinthians foi o lateral Wladimir, ídolo nos Anos 1980, com 806.

Protesto antes do jogo

Um grupo de torcedores do São Paulo organizou um protesto antes do clássico, na entrada do Morumbi. Foram estendidas faixas com críticas à diretoria —o presidente Leco, Raí, Alexandre Pássaro e Lugano—, mas também ao técnico Fernando Diniz e tao zagueiro Arboleda, que sentiu um incômodo muscular no treino de ontem e não foi nem sequer relacionado. Na chegada do ônibus com a delegação ao estádio, a recepção foi com gritos de protesto diante dos olhares do policiamento.

Otero em campo

O clássico marcou a estreia do meio-campista Otero, contratado do Atlético-MG. O venezuelano entrou no lugar de Cantillo aos 15 minutos do segundo tempo, mas não mudou o panorama da partida. Nem mesmo seu forte chute foi testado contra Volpi.

SÃO PAULO 2 x 1 CORINTHIANS

Data: 30 de agosto de 2020, domingo
Local: Morumbi, em São Paulo (SP)
Competição: Campeonato Brasileiro, 6ª rodada
Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza (SP)
Assistentes: Neuza Ines Back (SP) e Alex Ang Ribeiro (SP)
VAR: Márcio Henrique de Gois (SP)
Cartões amarelos:
Gols: Hernanes, aos 14min do primeiro tempo, e Brenner, aos 46min do segundo tempo (São Paulo); Ramiro, aos 36min do primeiro tempo (Corinthians)

SÃO PAULO: Tiago Volpi; Igor Vinícius, Diego Costa, Léo Pelé, Liziero; Tchê Tchê, Hernanes (Luan), Gabriel Sara (Igor Gomes); Luciano (Toró), Pablo (Bruno Alves), Paulinho Boia (Brenner). Técnico: Fernando Diniz.

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Gil, Danilo Avelar, Sidcley; Cantillo (Otero), Éderson, Araos (Luan), Ramiro (Gabriel); Jô, Léo Natel (Gustavo). Técnico: Tiago Nunes.

Futebol