PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras

Opala de ex-goleiro Marcos afogou na Marginal e sobrou até para cachorro

Helio Suenaga/Getty Images
Imagem: Helio Suenaga/Getty Images

Marcello De Vico e Vanderlei Lima

Do UOL, em Santos e São Paulo

15/08/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Entrevistado pelo UOL, Sérgio contou algumas histórias do ex-companheiros Marcos
  • Em uma delas, Marcos chamou toda família pra empurrar o carro que parou na Marginal
  • "Eu, Marcão, campeão do mundo, empurrando Opala na Marginal? Nem a pau"

Além de marcar o seu nome na história com títulos como a Copa do Mundo de 2002 e a Libertadores de 1999, o goleiro Marcos ficou conhecido no meio do futebol pelas histórias hilárias que contava. Parte delas tinha um parceiro em especial: o também goleiro Sérgio, companheiro de equipe por um longo tempo Palmeiras.

O UOL Esporte conversou com exclusividade com Sergião, e não tinha como deixar passar e não pedir para ele contar alguns dos inúmeros causos do Marcão, não é? Um deles, clássico, aconteceu logo depois de o goleiro pentacampeão voltar do Japão, em 2002.

"Essa história é fantástica. Ele foi pra Campinas com toda família, e o cachorro também [risos]. E na volta, quando o carro entrou na Marginal [Tietê, conjunto de avenidas em São Paulo], o carro pipocou, começou a afogar e morreu. Aí, o Marcão falou assim: 'gente, ó, eu fui campeão do mundo, vocês descem e todo mundo empurra o carro, porque não vai ficar bem o cara campeão do mundo empurrando um carro na Marginal, né [risos]'? Ele fez todo mundo descer, sogra, cunhada, cunhado, pra empurrar o carro. Ele disse: 'eu, Marcão, campeão do mundo, empurrando o Opala na Marginal? Nem a pau [risos]'"!

Sergio, ex-goleiro do Palmeiras, durante treinamento - Snapfoto - Snapfoto
Imagem: Snapfoto

Mas a história mais famosa frequentemente contada por Marcão, e esta em conjunto com Sérgio, ocorreu na casa do nosso entrevistado, e envolveu até a sua esposa: o dia em que o ex-goleiro foi 'atacado' com feijão...

"Ele morava comigo e nós treinávamos juntos, sempre em dois períodos. Eu tinha um, dois meses de casado, e minha esposa não estava cozinhando daquele jeito ainda... E eu sempre fui um cara que gostava de almoçar e tinha que ter feijão e arroz, e o Marcão também. E nesse dia, nós chegamos do treino cansado e sentamos no sofá e começamos a assistir esporte na TV, e minha esposa fazendo o almoço, aquela fome batendo, e nós tínhamos que voltar à tarde para o treino e nada de sair o almoço, nós estávamos nervosos já, e o almoço saiu lá pra uma e meia da tarde", conta.

"Quando minha esposa colocou o almoço na mesa, eu fui o primeiro a reclamar: 'Pô, cadê o feijão? Você não fez feijão'? E ela ficou brava, devia estar nervosa, e nesse dia ela pegou e falou: 'Ah, você quer feijão'? Aí ela pegou um pote que tinha de feijão e jogou tudo em cima de mim! E o Marcão vendo aquela cena, e ele saiu pra varanda, ficou lá, e achou que eu ia brigar com a minha esposa [risos]. Ela saiu correndo para o quarto, ficou nervosa e eu comecei a catar todo o feijão ali, tranquilo, pra não dispensar comida, e aí o Marcão voltou da varanda e viu aquela cena, eu catando o feijão no chão... Ele olhou e falou: 'cara, você não fez nada? Eu achei que você ia brigar com ela'. Aí, eu olhei pra ele e disse assim: 'cara, eu só não fiz nada porque não era cozido. Se fosse cozido, ela estava ferrada comigo' [risos]. E o Marcão contando... Ele dá uma ênfase na história que você não acredita, o Marcão é uma figuraça", completa.

Sérgio acumulou inúmeras amizades através do futebol, mas não pensa duas vezes ao ser questionado pela reportagem qual o seu grande amigo no futebol.

"Claro que é o Marcos, isso não tenho como esconder. Mas tenho tantos amigos no futebol hoje... Tenho uma amizade boa com o César Sampaio, Evair, Clebão é meu amigo demais. Essa galera do Palmeiras de 93 e 99 são bastante amigos; tem o Arce... Agora, o Marcão, além de grande amigo, é um irmão."

Palmeiras