PUBLICIDADE
Topo

Junta eleitoral do Vasco exclui anistiados; Brant promete ir à Justiça

Roberto Monteiro (presidente do Deliberativo), Campello (presidente do Vasco) e Eloi Ferreira (vice-presidente Geral) - Paulo Fernandes / Vasco
Roberto Monteiro (presidente do Deliberativo), Campello (presidente do Vasco) e Eloi Ferreira (vice-presidente Geral) Imagem: Paulo Fernandes / Vasco

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

10/07/2020 21h06

Em reunião realizada hoje (10), a Junta Eleitoral do Vasco aprovou a inclusão de cerca de 3 mil nomes na lista de aptos a votar no clube, enquanto determinou a exclusão de sócios anistiados em 2018. Julio Brant, um dos líderes do grupo político "Sempre Vasco", divulgou um vídeo prometendo levar o caso à Justiça.

A decisão já tem impacto na próxima Assembleia Geral do Cruz-Maltino, que tem um grande peso por ser um pleito pela eleição presidencial de forma direta.

No encontro de hoje, foram incluídos pessoas - das categorias de sócio remido, benfeitor remido e categoria campeão - que estavam inativas por não terem atendido ao recadastramento de 2018. Já em relação aos sócios anistiados, são quase 2.600 nomes que não poderão participar da vida política do clube. A informação foi publicada, primeiramente, pelo site do "Globo Esporte".

Júlio Brant, um dos líderes do grupo de oposição "Sempre Vasco", prometeu levar o caso à Justiça para que sócios anistiados possam participar do processo.

"Fala, vascaíno. Tudo bem? Acabei de ser informado da conclusão da reunião da Junta e, infelizmente, os sócios anistiados foram excluídos da próxima assembleia geral extraordinária, aquela, que vai votar a eleição direta. Não vamos permitir que isso aconteça. Você que esteve lá em São Januário, cumpriu todos os requisitos estatutários, gerou receita do clube com a intenção de participar do processo, ter seu voto válido e contado, seu desejo respeitado, vai participar. Não vamos entrar na Justiça e lutar para que isso aconteça", disse, em vídeo.

Vasco