PUBLICIDADE
Topo

Fla e Volta Redonda conversam por divisão de receita da semi da Taça Rio

Flamengo e Volta Redonda em partida válida pela Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca - Marcelo Cortes / Flamengo
Flamengo e Volta Redonda em partida válida pela Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca Imagem: Marcelo Cortes / Flamengo

Alexandre Araújo e Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

04/07/2020 13h46

As diretorias do Flamengo e do Volta Redonda estão conversando para que o clube da "Cidade do Aço" também consiga receitas com a semifinal da Taça Rio, segundo turno do Campeonato Carioca. O Rubro-Negro, como mandante, vai transmitir a partida através de uma plataforma, mediante do pagamento de R$ 10 - sócios-torcedores do clube da Gávea não pagam.

Em contato com o UOL Esporte, o Volta Redonda salientou que não tem "qualquer ingerência sobre as propriedades comerciais do Flamengo e respeita a decisão". A cúpula do Voltaço lembrou a Medida Provisória assinada pelo presidente Jair Bolsonaro recentemente, em que há uma alteração na configuração dos direitos de transmissão do esporte brasileiro.

Por outro lado, o clube salienta que, caso o jogo pudesse receber público, a renda seria dividida e, desta forma, aponta que "as diretorias estão em conversas para, juntas, buscarem mecanismos para também gerar receitas ao Volta Redonda".

"O Volta Redonda FC ressalta que não tem qualquer ingerência sobre as propriedades comerciais do Flamengo e respeita a decisão do Rubro-Negro em relação à transmissão da partida entre os clubes neste domingo. Não nos cabe exigir que o Flamengo não transmita ou que libere a transmissão gratuitamente.

Com o advento da MP 948/2020, a qual o Voltaço também não tem nenhum poder sobre o legislativo ou executivo, a receita da transmissão é integral do Flamengo. Claro que se tivéssemos público, a renda seria dividida, mas não é o caso. Ainda assim, as diretorias estão em conversas para, juntas, buscarem mecanismos para também gerar receitas ao Volta Redonda", diz a nota.

A medida do Flamengo dividiu a diretoria e desagradou torcedores. Hoje de manhã (4), a sede do Rubro-Negro na Gávea, Zona Sul do Rio de Janeiro, amanheceu pichada com críticas ao presidente Rodolfo Landim.

Flamengo