PUBLICIDADE
Topo

Presidente do Conselho do Atlético-MG cobra parecer sobre finanças de 2019

Castellar Guimarães Filho é o atual presidente do Conselho Deliberativo do Atlético-MG - Divulgação/Atlético-MG
Castellar Guimarães Filho é o atual presidente do Conselho Deliberativo do Atlético-MG Imagem: Divulgação/Atlético-MG

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

03/07/2020 04h00

Castellar Guimarães Filho, presidente do Conselho Deliberativo do Atlético-MG, cobra internamente o Conselho Fiscal sobre um parecer do balanço financeiro de 2019. A intenção do dirigente é repassar a apreciação e o balanço analítico, o qual detalha pagamentos do clube aos membros do Conselho Deliberativo, e adotar transparência total em sua primeira votação sobre as contas da agremiação.

O Galo divulgou a demonstração de resultados do último exercício em 30 de junho passado no jornal Estado de Minas. O documento, no entanto, ainda não foi avaliado pelos conselheiros. Diante da pandemia do novo coronavírus, não há previsão para uma reunião que analise as contas. O presidente do Conselho Deliberativo, contudo, tem o desejo de colocar à disposição todos os detalhes sobre as cifras do clube no ano passado.

Normalmente, os conselheiros só têm acesso ao balanço patrimonial, sem detalhes a mais sobre as contas do clube. O que é entregue ao grupo também é obrigatoriamente publicado em um jornal de circulação local. O novo mandatário do Conselho deseja adotar uma postura e entregar ainda informações detalhadas aos associados. O UOL Esporte apurou que o dirigente vê a mudança de postura como fator preponderante em uma gestão de clubes.

Procurado pelo UOL para falar sobre a a situação, Castellar Guimarães Filho se manifestou: "Ainda não tenho informações, mas há uma preocupação muito grande, porque os conselheiros ainda não receberam o balanço. Vou entregar o parecer aos conselheiros", limitou-se a dizer o dirigente.

A reportagem apurou que não é habitual fornecer o parecer do Conselho Fiscal aos membros do Conselho Deliberativo. O texto é apresentado ao grupo durante a reunião, mas nunca entregue aos mesmos. A mudança se dá por causa da necessidade de transparência vista por Castellar. Por haver investimento externo e também pela falta de detalhes recorrente, o dirigente acredita que é necessária a divulgação das contas detalhadas ao grupo.

O Conselho Fiscal fez indagações à cúpula do Atlético na última semana a fim de entender questões sobre as contas do clube. Entretanto, ainda não confeccionou o parecer. O grupo entende que só deve entregar o texto ao Conselho Deliberativo quando a reunião para apreciação das contas estiver marcada.

Assim como aconteceu no ano passado, quando Márcio Cadar foi o único a votar de forma contrária ao balanço financeiro do clube, há conselheiros que se movimentam para reprovação das contas sob a alegação de "obscuridade" da atual gestão atleticana.

Atlético-MG