PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro economiza ao deixar SPFC e Grêmio pagando salários de emprestados

Everton Felipe, meia-atacante do Cruzeiro, tem salários pagos pelo São Paulo - Bruno Haddad/Cruzeiro
Everton Felipe, meia-atacante do Cruzeiro, tem salários pagos pelo São Paulo Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

02/07/2020 04h00

A economia feita pelo Cruzeiro em 2020 inclui a obrigação dos clubes de origem em pagar salários de contratações por empréstimo. Dois jogadores chegaram à Toca da Raposa com os vencimentos pagos pelos clubes que detêm os seus direitos federativos: Everton Felipe e Machado.

Everton Felipe tem a remuneração totalmente paga pelo São Paulo durante a estadia em Belo Horizonte. O atacante recebe R$ 130 mil mensais. Todo o valor do contrato, que se encerra em 25 de dezembro, é quitado pelo clube que detém os direitos do jogador de 22 anos.

O mesmo acontece com Luiz Filipe Machado, que pertence ao Grêmio. Os vencimentos do volante de 24 anos, avaliados em R$ 16 mil por mês, são de responsabilidade do clube gaúcho. Ele tem contrato até 31 de dezembro desta temporada.

Outro jogador que chegou à Toca da Raposa II com salários arcados por seu clube de origem é Jhonata Robert. O Grêmio também tinha responsabilidade de pagar os R$ 9 mil mensais recebidos pelo atacante. Porém, o jovem retornou a Porto Alegre a pedido da diretoria gaúcha.

A economia mensal do Cruzeiro é de R$ 146 mil. Ao longo do ano, incluindo o 13º salário, o clube deixa de pagar R$ 1,898 milhão.

Cruzeiro