PUBLICIDADE
Topo

Federação cita Mineiro como ajuda ao isolamento e teme depressão de atletas

Futebol mineiro está paralisado desde março. Ideia é voltar com o torneio a partir de 26 de julho - Fernando Moreno/AGIF
Futebol mineiro está paralisado desde março. Ideia é voltar com o torneio a partir de 26 de julho Imagem: Fernando Moreno/AGIF

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

30/06/2020 04h00

Classificação e Jogos

A proposta apresentada pela Federação Mineira de Futebol (FMF) ao governo do Estado para a volta do Campeonato Mineiro foi reconsiderada após a publicação da nota oficial descartando o retorno e é possível que o torneio seja disputado a partir de 26 de julho, conforme definido em reunião na última semana. Na apresentação elaborada pela entidade, alguns aspectos são apontados como preponderantes para o retorno do futebol em meio à pandemia do novo coronavírus: a ajuda do esporte na manutenção do isolamento social e o temor por problemas psicológicos em atletas.

O UOL Esporte teve acesso à proposta feita pela FMF por meio de um dirigente de clube. No texto, a entidade relata que teme os efeitos psicológicos em jogadores e cita que a depressão entre atletas profissionais de futebol cresce por causa do distanciamento social. A fonte é um estudo divulgado pela Federação Internacional de Jogadores Profissionais (FIFPro), em 20 de abril passado. Outra justificativa é a utilização do futebol como medida de redução do deslocamento social.

A proposta da entidade inicia explicando que há questões físicas em jogo. Existe um receio pelo longo período de inatividade, a diminuição das capacidades físicas e fisiológicas e o elevado risco de lesões e agravos à saúde dos atletas.

A questão econômica também é abordada na proposta feita pela Federação Mineira de Futebol. Os desempregos em massa nos clubes, o risco de falência e a queda de empregos indiretos são apontados na ideia.

A proposta

A Federação Mineira não se limita às justificativas. Há também um protocolo de segurança visando a criação de um ambiente seguro em uma sede única — Belo Horizonte é citada como exemplo. O desejo é repetir o que será feito pela Uefa na disputa da reta final da Liga dos Campeões, que ocorrerá em Portugal.

O desejo da entidade é que os clubes tenham 28 dias de preparação até a realização da 10ª rodada da primeira fase. A partir daí, seriam necessários 18 dias para o término do torneio. Os jogos seriam disputados a cada três dias, com partidas de ida e volta em semifinal e final.

Um dia antes da viagem a Belo Horizonte, todos os membros das delegações devem ser testados para a Covid-19. Clubes deverão enviar à FMF os questionários de triagem dos últimos sete dias e o resultado dos exames antes de iniciar a viagem. Se um membro da delegação apresentar sintomas ou exame positivo, o mesmo deve ser imediatamente isolado e não poderá nem sequer viajar para a capital mineira.

As equipes passarão por testes na chegada a Belo Horizonte — todos deverão ser submetidos a exames rigorosos. Em caso de atleta com sintomas ou resultado positivo, o mesmo será isolado e observado por médicos dos clubes. Após o início do confinamento, as delegações só poderão sair dos alojamentos para os locais de treinamento e jogos. As medidas valerão por toda a estadia na capital mineiroa, sendo os exames repetidos antes de cada rodada.