PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Grêmio falou com a Conmebol e ouviu Renato para suspender treinos

Lucas Uebel/Grêmio FBPA
Imagem: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

18/03/2020 04h00

A decisão de suspender treinos os treinos do Grêmio passou pelo parecer de médicos, mas também levou em conta resposta da Conmebol a consulta informal sobre previsão de retorno dos jogos da Copa Libertadores. E também ouviu a posição de Renato Gaúcho, que permanece no Rio de Janeiro desde o final de semana.

O treinador manteve contato com os dirigentes gremistas por telefone, na terça-feira, e se posicionou favoravelmente a paralisação das atividades no CT Presidente Luiz Carvalho.

Renato foi liberado pelo Grêmio e ficará no Rio até segunda-feira. Ele é esperado nas dependências do clube na terça (24), dia da reapresentação. O cronograma pode ser alterado de novo nos próximos dias, diante de nova avaliação do cenário da pandemia no estado.

A diretoria do Grêmio havia, em um primeiro momento, mantido os treinos do elenco principal. O argumento era a possibilidade de retomada da Libertadores até abril. Por isso, dirigentes do clube gaúcho fizeram contato com a Conmebol para saber sobre novo prazo para volta do torneio sul-americano e ouviram que a suspensão da fase de grupos deve seguir até maio.

No CT, integrantes da área da saúde se posicionaram pela paralisação dos treinos. Os dirigentes e outros membros da comissão técnica concordaram com os argumentos — quase simultaneamente ao anúncio de novos casos oficiais de covid-19 em Porto Alegre.

A ideia do Grêmio é manter o elenco em "constante monitoramento". Na sexta-feira, os jogadores devem se apresentar no clube para realização de exames clínicos. A atenção a possibilidade de contágio foi aumentada nos últimos dias.

O UOL Esporte mostrou que dois dirigentes gremistas realizaram teste para diagnosticar o novo coronavírus. Existem, pelo menos, mais três integrantes da diretoria com sintomas.

Futebol