PUBLICIDADE
Topo

Flamengo sofre empate no fim contra Del Valle em noite de drama e VAR

Diego (esq.), do Flamengo, e Cristian Pellerano, do Del Valle, na final da Recopa Sul-Americana - REUTERS/Daniel Tapia
Diego (esq.), do Flamengo, e Cristian Pellerano, do Del Valle, na final da Recopa Sul-Americana Imagem: REUTERS/Daniel Tapia

Do UOL, no Rio de Janeiro

20/02/2020 00h29

Classificação e Jogos

No jogo de ida da Recopa Sul-Americana, Flamengo e Independiente del Valle empataram hoje (19) por 2 a 2 no Estádio Atahualpa, em Quito. De falta, Murillo abriu o placar para os equatorianos, mas Bruno Henrique empatou. A virada veio com Pedro, que marcou aos 40 minutos do segundo tempo. De pênalti, Pellerano deixou tudo igual aos 45. O Fla ainda teve a anulação de um gol confirmada pelo VAR, decisão contestada pelos rubro-negros.

Apesar do resultado, o Rubro-negro foi assombrado por uma contusão de Bruno Henrique, que se chocou com o goleiro no lance do gol. Após o choque, o atacante foi substituído e deixou o estádio de ambulância. Rodrigo Caio também deixou o campo contundido. As equipes decidem a taça no próximo dia 26 e o Fla joga por vitória simples.

Além dos 2.800 metros de altitude, os rubro-negros encararam um adversário organizado e que foi superior na maior parte do duelo. Em um dia no qual as coisas estiveram longe de sair bem, o Fla traz para casa um resultado valioso e fica perto do troféu.

Quem foi bem: Bruno Henrique trava batalha solitária

O atacante foi o jogador mais lúcido do Flamengo no jogo de ida da Recopa. Sem Gabigol, Bruno perdeu sua principal referência e teve de mudar um pouco seu estilo de jogo habitual. Mesmo um pouco mais distante do lado esquerdo, ele marcou um gol posteriormente anulado, incomodou os zagueiros e assustou Pinos. Aos 21 minutos da etapa final, ele recebeu passe de Arrascaeta e marcou. Na conclusão, o rubro-negro se chocou com Pinos e deixou o campo de maca, preocupando a comissão técnica e jogadores.

Diego herda a vaga e não vai bem

O técnico Jorge Jesus optou pela entrada do Diego em Quito, mas a estratégia não funcionou. Sem Gabigol, suspenso, o Mister apostou na cadência do camisa 10, que não cumpriu a missão de reter a bola. Como consequência, o Fla ainda perdeu sua força pelos lados do campo.

Flamengo sem penetração encontra dificuldades

A simples ausência de Gabigol, somada aos 2.800 metros de altitude de Quito, transformou por completo o Flamengo. Muito longe de ser aquele Rubro-negro envolvente e que se impõe nas partidas, o Fla não se encontrou, sobretudo na primeira etapa. A entrada de Vitinho tornou a equipe mais ofensiva, mas as muitas atuações individuais abaixo da média quase foram fatais. O empate ficou de bom tamanho ante as dificuldades encontradas.

Del Valle trata bem a bola e não se assusta

Os equatorianos não se apavoraram com os campeões da Libertadores e construíram suas ações na base do toque de bola. A equipe achou espaços entre as linhas do Flamengo e soube neutralizar o rival na hora de se defender e soube aproveitar os espaços deixados por um adversário que esteve longe de seus melhores dias.

Festa frustrada

Aos 26 minutos do primeiro tempo, Bruno Henrique recebeu uma bola esticada de Arrascaeta, driblou o goleiro Pinos e marcou. O auxiliar marcou impedimento e o lance foi para a checagem do VAR. Após quatro minutos de espera, Leodan González mandou o jogo seguir e confirmou o gol invalidado. Até o perfil no Twitter do time da casa fez graça com a demora.

Cronologia

De falta, Torres superou Diego Alves e abriu a contagem aos 19 minutos. Na sequência, Bruno Henrique marcou, o assistente anulou e o árbitro de vídeo confirmou a marcação de campo. Aos 21 do segundo tempo, Bruno Henrique marcou. Aos 40, Pedro virou. Aos 45, Pellerano, de pênalti, deixou tudo igual.

Preocupação rubro-negra

O atacante Bruno Henrique empatou o jogo, mas nem pôde celebrar. No lance, o atacante colocou a bola na frente, venceu a marcação do zagueiro e se chocou com o goleiro Pinos. O jogador ficou caído no chão e foi retirado de maca do campo. Ele deixou o estádio de ambulância. Segundo o clube, Bruno Henrique sofreu um trauma na perna direita.

Caldeirão em fogo brando

Time sem muito apelo popular no Equador, o Independiente del Valle até que levou um bom público para jogo da decisão, mas o ambiente no Estádio Atahualpa esteve longe de tornar o campo um caldeirão.

Casa lotada

Em contrapartida, a torcida do Flamengo já dá sinais de que o Maracanã estará lotado para o jogo da próxima quarta-feira (26). De acordo com a última parcial divulgada pelo clube, 51 mil entradas já foram comercializadas para a partida que definirá o campeão da Recopa.

INDEPENDIENTE DEL VALLE 2 x 2 FLAMENGO

Data: 19 de fevereiro de 2020, quarta-feira
Horário: 22h30 (de Brasília)
Competição: Recopa Sul-Americana (jogo de ida)
Local: Estádio Atahualpa, em Quito (EQU)
Árbitro: Leodan González (URU)
Assistentes: Nicolas Taran (URU) e Richard Trinidad (URU)
VAR: Esteban Ostojich (URU)
Cartões amarelos: Pellerano, Caicedo e Guerrero (Independiente del Valle); Gerson, Filipe Luís e Rafinha (Flamengo)

Gols: Murillo, 21 minutos do primeiro tempo; Bruno Henrique, aos 21; Pedro, aos 40; e Pellerano, aos 45 minutos do segundo tempo

INDEPENDIENTE DEL VALLE: Pinos; Franco, Segovia, Schunke e Caicedo; Faravelli, Pellerano e Guerrero (Cabezas); Murillo, Sanchez e Torres (Preciado). Técnico: Miguel Ángel Ramirez

FLAMENGO: Diego Alves; Rafinha, Rodrigo Caio (Thuler), Gustavo Henrique e Filipe Luís; Arão, Gerson e Diego (Vitinho); Everton Ribeiro, Arrascaeta e Bruno Henrique (Pedro). Técnico: Jorge Jesus

Flamengo