PUBLICIDADE
Topo

Futebol


Ponte mantém cautela em polêmica sobre 'dedada' e estuda caminho a seguir

Marcello De Vico

Do UOL, em Santos (SP)

19/02/2020 14h56

Resumo da notícia

  • Ponte Preta estuda como dar sequência ao que foi dito por Paulo Carneiro
  • Presidente do Vitória causou polêmica com declaração dada a uma rádio
  • Mandatário afirmou que Rodrigo e Mancini combinaram dedada em Tréllez
  • "Mancini ganhou R$ 1,3 milhão pra combinar com o Rodrigo aquela dedada"

A Ponte Preta estuda qual o melhor caminho a seguir na polêmica iniciada anteontem (17) pelo presidente do Vitória, Paulo Carneiro, que afirmou durante uma entrevista à Rádio Itapoan FM que Vágner Mancini, ex-técnico do clube baiano, combinou com o ex-zagueiro Rodrigo sua "dedada" no atacante Santiago Tréllez — que acabou resultando na expulsão do jogador da Ponte e num triunfo de virada do Vitória pela penúltima rodada do Brasileiro de 2017.

Com cautela, o clube campineiro analisa o que tem em mãos e como pode avançar antes de oficializar qualquer ação na Justiça. Em entrevista ao UOL Esporte, o advogado da Ponte Preta, João Artioli, diz que, diante de uma declaração de tamanha relevância dada pelo presidente do Vitória, seria razoável que os órgãos competentes dessem início a uma apuração.

"Ainda analisamos, mas com bastante cautela, até pelo fato de ainda não ter nada concreto e por ser um assunto muito delicado. Mas, de fato, entendemos que, se houve declaração no sentido que está sendo divulgado, seria razoável que os órgãos competentes realizassem uma apuração, pois se trataria de uma afirmação que atinge uma universalidade de pessoas", disse.

"Mas não nos cabe, até o momento, firmar qualquer posicionamento ou realizar qualquer juízo de valor", acrescentou.

Segundo apurou a reportagem, a análise inicial da Ponte Preta não viu ironia de Paulo Carneiro em suas declarações - assim como ele mesmo disse após a repercussão da entrevista.

O clube campineiro agora busca detalhes que possam, ao menos, demonstrar uma probabilidade do que foi dito, cruamente, por Paulo Carneiro. Ou seja: evidências de que existe uma possibilidade de a afirmação realmente ser verdadeira. Para isso, a Ponte busca pessoas que possam dar alguma pista e estuda qual a melhor forma de acionar a Justiça.

"Mancini ganhou R$ 1,3 milhão pra combinar com Rodrigo"

A polêmica começou quando Paulo Carneiro foi questionado sobre a necessidade da contratação de um goleiro para o elenco. Ao falar sobre as mudanças que o clube sofreu após a sua chegada à presidência, o mandatário citou a "equipe fixa" que o Vitória tem hoje no trabalho diário com o elenco e então aproveitou para recordar como era o clube na última passagem do técnico Vágner Mancini.

"Quando chegamos ao clube, não tínhamos equipe fixa. Imagina... O clube era assim. Quando o treinador Vagner Mancini veio ao Vitória só faltou trazer um presidente. O resto ele trouxe: analista de desempenho, assistente que era fisiologista, etc, etc e etc. Mandava mais do que o presidente. Eu tenho certeza de que ele mandava mais que o presidente", afirmou.

"E hoje está cobrando na Justiça R$ 1,2 milhão e já recebeu R$ 800 (mil). É a rescisão mais cara da história do Vitória: R$ 2 milhões. Ele ganhou R$ 1,3 milhão pra combinar com o Rodrigo aquela dedada que salvou o Vitória em 2017. Ele ganhou R$ 1,3 milhão", acrescentou.

Reprodução
Imagem: Reprodução

"Quem ouviu a entrevista sabe que fiz uma ironia"

Em um áudio que circulou no Whatsapp após a repercussão da entrevista pelo site Galáticos, Paulo Carneiro afirma que deu a declaração em tom de "gozação e ironia".

"Deixa eu esclarecer essa nota absolutamente inverídica com relação à entrevista que eu dei hoje na rádio dizendo que eu teria dito que houve uma armação entre Mancini e o ex-zagueiro Rodrigo. Mas que coisa. Rapaz, isso é de um ridículo, sabe?",disse.

"Deveria mandar demitir o jornalista. A não ser que tinha sido de má intenção mesmo, né. Quem ouviu a entrevista sabe que eu fiz uma gozação, uma ironia. Como se dá um prêmio de R$ 1,3 milhão a um treinador e depois o Vitória não caiu por causa da dedada de Rodrigo em Tréllez. Isso todo mundo sabe. É público. O Vitória tomava 2 a 0 da Ponte Preta e estava abatido, vencido e rebaixado. E eu fiz uma ironia entre a dedada de Rodrigo e o valor absurdo que deram a Vagner Mancini. Aí o cara deduziu que era uma armação", acrescentou.

"É, meu amigo. Tá vendo, Anderson Matos [repórter do site Galáticos]? Eu tenho boa vontade, mas não adianta, meu amigo. Essa notícia é inverídica. É só pegar a gravação e ouvir. Eu fiz uma ironia, certa? Se a pessoa é medianamente inteligente, entende. Se é burra, faz uma matéria dessa", completou Paulo Carneiro.

Advogado promete ir à Justiça

Tiago Caldas / E.C Vitória.
Imagem: Tiago Caldas / E.C Vitória.

Pelo lado de Vágner Mancini e Rodrigo, o advogado que representa a dupla, João Henrique Chiminazzo, prometeu ir à Justiça contra o presidente do Vitória. "Tanto o Vagner Mancini quanto Rodrigo já encaminharam a competente Interpelação Extrajudicial para esclarecimentos sobre as graves acusações e a divulgação de informações que claramente causam prejuízo à imagem e abalo moral para ambos diante da grande repercussão em redes sociais", diz a nota.

"Foi definido o prazo de cinco dias para que os envolvidos no episódio apresentem os elementos, provas e indícios sobre todas as acusações presentes na declaração do Sr. Paulo Carneiro. Outras medidas judiciais e criminais cabíveis serão tomadas para responsabilizar os envolvidos pelos seus atos", acrescenta.

Relembre a confusão em Ponte x Vitória

No jogo do episódio citado por Paulo Carneiro, disputado em 26 de novembro de 2017, a Ponte Preta chegou a abrir 2 a 0 contra o Vitória, no Moisés Lucarelli, em apenas 15 minutos. Pouco depois, porém, Rodrigo foi expulso por introduzir o dedo entre as nádegas de Tréllez e, com um a menos, o time campineiro acabou sofrendo a virada (3 a 2). Com o resultado, a Macaca acabou rebaixada para a segunda divisão.

Futebol