PUBLICIDADE
Topo

Futebol


Entenda por que 'dedada' de Rodrigo volta a causar polêmica 2 anos depois

Marcello De Vico

Do UOL, em Santos (SP)

18/02/2020 16h58

Resumo da notícia

  • Presidente do Vitória causou polêmica com declaração dada a uma rádio
  • Paulo Carneiro disse que Rodrigo e Mancini combinaram dedada em Tréllez
  • "Mancini ganhou R$ 1,3 milhão pra combinar com o Rodrigo aquela dedada"
  • Ponte levou virada do Vitória após o episódio e acabou rebaixada em 2017

Presidente do Vitória, Paulo Carneiro causou polêmica ao afirmar, durante uma entrevista à Rádio Itapoan FM, de Salvador, que Vágner Mancini, ex-técnico do clube baiano, combinou com o ex-zagueiro Rodrigo sua "dedada" no atacante Santiago Tréllez —que acabou resultando na expulsão do jogador da Ponte Preta e num triunfo de virada do Vitória pela penúltima rodada do Brasileiro de 2017.

Com uma derrota por 3 a 2, o time campineiro acabou rebaixado. Dias depois, a equipe rubro-negra confirmou a permanência na elite mesmo após perder para o Flamengo na última partida.

Em um áudio que circulou no Whatsapp após o assunto ganhar repercussão, Paulo Carneiro negou o episódio, disse ter sido irônico em sua declaração e criticou "nota absolutamente inverídica" publicada por um um site local (Galáticos Online). "Rapaz, isso é de um ridículo, sabia? Deveria mandar demitir o jornalista", afirmou o presidente rubro-negro.

"Mancini ganhou R$ 1,3 milhão pra combinar com o Rodrigo"

Tudo começou quando Paulo Carneiro foi questionado sobre a necessidade da contratação de um goleiro para o elenco. Ao falar sobre as mudanças que o clube sofreu após a sua chegada à presidência, o mandatário citou a "equipe fixa" que o Vitória tem hoje no trabalho diário com o elenco e então aproveitou para recordar como era o clube na última passagem do técnico Vágner Mancini.

"Quando chegamos ao clube, não tínhamos equipe fixa. Imagina... O clube era assim. Quando o treinador Vagner Mancini veio ao Vitória só faltou trazer um presidente. O resto ele trouxe: analista de desempenho, assistente que era fisiologista, etc, etc e etc. Mandava mais do que o presidente. Eu tenho certeza de que ele mandava mais que o presidente", afirmou.

"E hoje está cobrando na Justiça R$ 1,2 milhão e já recebeu R$ 800 (mil). É a rescisão mais cara da história do Vitória: R$ 2 milhões. Ele ganhou R$ 1,3 milhão pra combinar com o Rodrigo aquela dedada que salvou o Vitória em 2017. Ele ganhou R$ 1,3 milhão", acrescentou.

Reprodução
Imagem: Reprodução

"Quem ouviu a entrevista sabe que fiz uma ironia"

Em um áudio que circulou no Whatsapp após a repercussão da entrevista pelo site Galáticos, Paulo Carneiro afirma que deu a declaração em tom de "gozação e ironia".

"Deixa eu esclarecer essa nota absolutamente inverídica com relação à entrevista que eu dei hoje na rádio dizendo que eu teria dito que houve uma armação entre Mancini e o ex-zagueiro Rodrigo. Mas que coisa. Rapaz, isso é de um ridículo, sabe?",disse.

"Deveria mandar demitir o jornalista. A não ser que tinha sido de má intenção mesmo, né. Quem ouviu a entrevista sabe que eu fiz uma gozação, uma ironia. Como se dá um prêmio de R$ 1,3 milhão a um treinador e depois o Vitória não caiu por causa da dedada de Rodrigo em Tréllez. Isso todo mundo sabe. É público. O Vitória tomava 2 a 0 da Ponte Preta e estava abatido, vencido e rebaixado. E eu fiz uma ironia entre a dedada de Rodrigo e o valor absurdo que deram a Vagner Mancini. Aí o cara deduziu que era uma armação", acrescentou.

"É, meu amigo. Tá vendo, Anderson Matos [repórter do site Galáticos]? Eu tenho boa vontade, mas não adianta, meu amigo. Essa notícia é inverídica. É só pegar a gravação e ouvir. Eu fiz uma ironia, certa? Se a pessoa é medianamente inteligente, entende. Se é burra, faz uma matéria dessa", completou Paulo Carneiro.

Advogado de Rodrigo e Mancini promete ir à Justiça

Tiago Caldas / E.C Vitória.
Imagem: Tiago Caldas / E.C Vitória.

Pelo lado de Vágner Mancini e Rodrigo, o advogado que representa a dupla, João Henrique Chiminazzo, prometeu ir à Justiça contra o presidente do Vitória. "Tanto o Vagner Mancini quanto Rodrigo já encaminharam a competente Interpelação Extrajudicial para esclarecimentos sobre as graves acusações e a divulgação de informações que claramente causam prejuízo à imagem e abalo moral para ambos diante da grande repercussão em redes sociais", diz a nota.

"Foi definido o prazo de cinco dias para que os envolvidos no episódio apresentem os elementos, provas e indícios sobre todas as acusações presentes na declaração do Sr. Paulo Carneiro. Outras medidas judiciais e criminais cabíveis serão tomadas para responsabilizar os envolvidos pelos seus atos", acrescenta.

Ponte: "deverá haver apuração pelos órgãos competentes"

Rebaixada em 2017 após a derrota para o Vitória, de virada, a Ponte Preta, através de seu departamento jurídico, disse que deve haver apuração pelos órgãos competentes "pois se trataria de uma declaração séria e com implicações jurídicas importantes".

"É um assunto extremamente delicado que precisa ser muito bem apurado para que algo possa ser dito por parte da Ponte Preta. Se o presidente do Vitória realmente fez qualquer afirmação sobre aquele episódio, entendemos que deverá haver apuração pelos órgãos competentes, pois se trataria de uma declaração séria e com implicações jurídicas importantes", afirmou a Macaca.

Relembre a confusão que aconteceu em Ponte Preta x Vitória

No jogo do episódio citado por Paulo Carneiro, disputado em 26 de novembro de 2017, a Ponte Preta chegou a abrir 2 a 0 contra o Vitória, no Moisés Lucarelli, em apenas 15 minutos. Pouco depois, porém, Rodrigo foi expulso por introduzir o dedo entre as nádegas de Tréllez e, com um a menos, o time campineiro acabou sofrendo a virada (3 a 2) e, com o resultado, acabou rebaixado para a segunda divisão.

Veja nota completa de advogado representante de Mancini e Rodrigo:

Por meio desta nota, eu, João Henrique Chiminazzo, advogado que representa Vagner Mancini e Rodrigo da Costa, venho a público manifestar o sentimento de repúdio de ambos diante das acusações caluniosas e difamatórias proferidas pelo presidente do Esporte Clube Vitória, Sr. Paulo Carneiro, em entrevista ao vivo na rádio Itapoan Fm. Uma postura deselegante que, desprovida de provas, ofende a honra de dois profissionais.

Repudiam também o exercício do jornalismo irresponsável e sensacionalista do site Galáticos On-line, que repercutiu a entrevista sem qualquer tentativa de apuração dos fatos e fontes citadas, desprezando o exercício do jornalismo de forma imparcial, séria e honesta. O portal de notícias evidencia total falta de ética na condução do assunto ao reproduzir num site de grande alcance e potencial de "viralizar" conteúdo, a afirmação de que o Sr. Paulo Carneiro revelou que o E.C. Vitória não foi rebaixado à série B do Campeonato Brasileiro de 2017 "por conta de uma armação do treinador", além de transcrever de forma vexatória a atitude do ex-jogador Rodrigo. Sabe-se que o código de ética do jornalismo inclui como valores e preceitos fundamentais, a busca a veracidade e a precisão das informações. O Código de Ética da FENAJ estabelece, no art. 2º, I, que "a divulgação da informação precisa e correta é dever dos meios de comunicação" e no art. 2º, II, acrescenta que "a produção e a divulgação da informação devem se pautar pela veracidade dos fatos".

Diante do exposto, tanto o Vagner Mancini quanto Rodrigo já encaminharam a competente Interpelação Extrajudicial para esclarecimentos sobre as graves acusações e a divulgação de informações que claramente causam prejuízo a imagem e abalo moral para ambos diante da grande repercussão em redes sociais. Foi definido o prazo de cinco dias para que os envolvidos no episódio, Anderson Matos, repórter da equipe Galáticos e Rádio Itapoan, Márcio Martins, responsável pelo site Galáticos On-line e Paulo Carneiro, presidente do E.C. Vitória, apresentem os elementos, provas e indícios sobre todas as acusações presentes na declaração do Sr. Paulo Carneiro a emissora de rádio, reproduzida pelo site de forma leviana. Outras medidas judiciais e criminais cabíveis serão tomadas para responsabilizar os envolvidos pelos seus atos.

Futebol