PUBLICIDADE
Topo

Cano marca de letra e Vasco bate Oriente Petrolero pela Sul-Americana

Cano comemora gol marcado pelo Vasco contra o Oriente Petrolero, pela Copa Sul-Americana - Thiago Ribeiro/AGIF
Cano comemora gol marcado pelo Vasco contra o Oriente Petrolero, pela Copa Sul-Americana Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

05/02/2020 23h25

Classificação e Jogos

O Vasco saiu na frente na luta por uma vaga na segunda fase da Copa Sul-Americana. Na noite de hoje (5), em São Januário, o time do técnico Abel Braga venceu o Oriente Petrolero, da Bolívia, por 1 a 0, com gol de Germán Cano, que, à frente da linha da defesa adversária, finalizou de letra.

A partida de volta entre as equipes acontecerá no dia 19 deste mês, no Ramón Tahuichi, estádio localizado em Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia. A equipe da Colina se classifica com um empate.

Talles faz melhor partida em 2020

Talles Magno, enfim, desabrochou em 2020. O jovem e promissor atacante arriscou dribles, foi para cima e ainda deu a assistência para o gol de Cano.

Quem foi bem - Germán Cano

Cano foi um dos mais jogadores mais ativos do Vasco na partida. Mesmo na função como referência no ataque, se movimentou bastante, buscou jogo e conseguiu participar de jogadas perigosas. Além disso, com um toque de letra - em posição de impedimento -, fez um bonito gol e abriu o placar em São Januário.

Quem foi mal - Marcos Júnior

Apesar de o setor do meio de campo ter funcionado em alguns momentos, também teve alguns colapsos. Marcos Júnior até conseguiu trocar bons passes, mas cometeu erros na tentativa de ajudar nos avanços. No primeiro tempo, foi "fominha" em lance em que o Vasco podia levar o perigo e, no segundo, perdeu um gol na pequena área e sem marcação.

Vasco - bom começo e espaços no final

O time de Abel Braga teve uma atuação segura no primeiro tempo, mas com algumas falhas defensivas na etapa final. Na primeira metade do confronto, o Vasco conseguiu pressionar a saída de bola e ter boa presença no campo de ataque - com erros de passe no setor ofensivo. Após o intervalo, buscou manter a postura e criou chances, mas passou a deixar espaços e viu o Oriente Petrolero levar sustos.

Em certos momentos, a equipe cruz-maltina se mostrou ansiosa e não conseguiu encontrar a melhor solução para as jogadas.

Oriente Petrolero - postura defensiva

A equipe boliviana adotou uma postura mais defensiva, esperando o Vasco no campo de defesa e apostando nas saídas em velocidade. A estratégia, porém, não deu muito certo. Apesar de algumas subidas ao ataque, a defesa cruz-maltina teve pouco trabalho. Além disso, deixou muito espaço no meio de campo, fazendo com que o adversário conseguisse não ser tão incomodado nas construções das jogadas.

No segundo tempo, com um certo cansaço do time da casa, houve melhora, mas nada que impedisse a derrota.

Cronologia do jogo

Com o apoio da torcida, o Vasco começou tendo mais presença de ataque e uma marcação forte. Os visitantes, por outro lado, adotaram uma postura mais defensiva e, em certos momentos, optaram pelas faltas.

Apesar de o Cruz-Maltino ter a movimentação pelas pontas, principalmente com Talles Magno e o lateral-esquerdo Henrique como opções, o time de Abel Braga encontrava dificuldades por conta dos erros de passes. Mas foi justamente desta forma que chegou ao gol, quando Talles fez boa jogada pela direita e achou Cano, que estava um pouco à frente da defesa e desviou de letra.

Vale lembrar que, nesta primeira fase da Sul-Americana, não há o auxílio do árbitro de vídeo (VAR). Por conta disso, não houve revisão do gol do Vasco.

Após o gol, o Vasco ficou mais à vontade e passou a ter mais consistência com a bola no pé. Pikachu e Marrony estiveram próximo de ampliar o marcador, mas, no primeiro lance, a bola passou próximo à trave e, no segundo, Banegas fez boa defesa.

Pouco minutos após o intervalo, o Cruz-Maltino quase fez o segundo, mas Marcos Júnior, sem marcação na área, carimbou na trave. O Oriente Petrolero, porém, passou a achar espaços nas costas dos cruz-maltinos e fez o setor defensivo trabalhar.

Com a bola no pé, os comandados de Abel se mostravam ansiosos e buscavam soluções rápidas, cometendo falhas e desperdiçando oportunidades.

Pênalti?

Jogadores e torcedores do Vasco ficaram na bronca com a arbitragem em um lance que o lateral-esquerdo Henrique disputou a bola pelo alto, dentro da área, e recebeu uma "cama de gato", mas foi apontada falta do jogador do time brasileiro.

Duas vezes no travessão

Quando o jogo se mostrava menos corrido, a equipe cruz-maltina quase fez o segundo, e em um lance que a bola bateu duas vezes no travessão. Werley, após levantamento, foi o primeiro e, no rebote, Marcos Júnior, também de cabeça, mandou na baliza.

Apreensão no fim

Nos minutos finais da partida, os bolivianos passaram a ter mais liberdade e fizeram a torcida vascaína se preocupar. A equipe da Colina, mais recuada, não mostrava poder de ir ao ataque.

Fechou o tempo

Restando pouco para o apito final, Olguín tentou atrapalhar uma cobrança de lateral para o Vasco, houve discussão e os jogadores dos dois times se entranharam, com direito a empurra-empurra.

Volante Marcos Júnior foi titular no duelo contra o Oriente Petrolero - Thiago Ribeiro/AGIF
Volante Marcos Júnior foi titular no duelo contra o Oriente Petrolero
Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Andrey e Marcos Júnior viram titulares

O técnico Abel Braga promoveu novidades para a partida contra o Oriente Petrolero. Os volantes Andrey e Marcos Júnior ganharam as vagas de Bruno Gomes e Gabriel Pec.

São Januário ficou sem luz e preocupou

Cerca de três horas e meia antes da partida, um verdadeiro dilúvio caiu sobre o bairro de São Cristóvão, onde fica São Januário. O estádio teve uma queda de energia que só foi reestabelecida faltando pouco mais de uma hora para o jogo.

Em seguida, quando os times já estavam em campo esperando o apito inicial, os refletores deram uma rateada e geraram um susto aos presentes, mas a luz voltou rapidamente e o duelo começou, mesmo com a arquibancada ainda às escuras.

Na semana passada, o jogo entre Vasco e Cabofriense foi adiado por conta da falta de luz.

Torcedores do Petrolero em bom número

Os torcedores do Oriente Petrolero compareceram em bom número a São Januário. Cerca de 300 ocuparam o setor dos visitantes.

Túneis dos vestiários alagados

Os jogadores de Vasco e Oriente Petrolero precisaram entrar em campo por uma entrada alternativa em função dos túneis de acesso ao campo dos vestiários estarem alagados.

FICHA TÉCNICA
VASCO 1 x 0 ORIENTE PETROLERO (BOL)

Local: São Januário, Rio de Janeiro
Hora: 21h30 (horário de Brasília)
Competição: Sul-Americana (jogo de ida da 1ª fase)
Árbitro: Augusto Aragón (EQU)
Auxiliares: Dennys Guerrero (EQU) e Juan Aguiar Ramos (EQU)
Público/renda: 17.706 pagantes / R$ 721.091,00
Cartões amarelos: Andrey e Talles Magno (VAS); Olguín e Franco (ORI)
Cartões vermelhos: -
Gol: Cano, do Vasco, aos 19 minutos do primeiro tempo

Vasco: Fernando Miguel, Yago Pikachu, Werley, Leandro Castan e Henrique; Raul, Andrey e Marcos Júnior (Juninho); Marrony, Germán Cano e Talles Magno
Técnico: Abel Braga

Oriente Petrolero: Banegas; Saucedo, Olguín, Franco, Mercado (Navarro), Palmieri e Rojas; Pozo, Salvatierra (Gutiérrez), Salinas (Héctor Sánchez) e Bueno.
Técnico: Pablo Sánchez.

Vasco