PUBLICIDADE
Topo

'Mescla' e mercado podem fazer Matheus Alessandro 'ressurgir' no Fluminense

Atacante Matheus Alessandro participou do lance que gerou gol do Fluminense contra Cabofriense - LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.
Atacante Matheus Alessandro participou do lance que gerou gol do Fluminense contra Cabofriense Imagem: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

22/01/2020 04h00

Com um planejamento para 2020 no qual visa uma mescla entre jogadores jovens e experientes, algo impulsionado também pelo técnico Odair Hellmann, o Fluminense pode ver Matheus Alessandro brigar novamente por espaço no time. Formado na base do clube, o atacante esteve emprestado ao Fortaleza na última temporada e retornou às Laranjeiras nesta janela, mas ainda tem futuro incerto.

Com contrato até o fim deste ano, Matheus Alessandro, inicialmente, não fazia parte dos planos. Porém, foi utilizado na estreia no Campeonato Carioca, contra a Cabofriense, participou da jogada que gerou o gol da vitória, marcado por Nenê, e, ao menos por ora, pode surgir como opção para o setor.

Após o triunfo, inclusive, Odair não escondeu que a diretoria analisa o mercado por novos nomes, mas apontou que jovens que já estão no elenco podem ter chance para gerarem mais opções.

"A parte ofensiva também [busca por reforços], mas com muito critério, dentro daquilo que falamos para o torcedor: visualizando a parte financeira, estrutural que o clube tem, para que possamos acertar nessas vindas. Vamos recuperar os meninos que machucaram, oportunizar mais jogadores do grupo, para criar opções nesse decorrer das competições que teremos", disse o treinador, no último domingo (19).

Para 2020, o Fluminense tem um projeto de um time sub-23 e cinco jogadores deste grupo — Lucas Barcellos, Higor, Paulo Victor, Gabriel Capixaba e Nascimento — foram inscritos para o confronto. O próprio diretor de futebol Paulo Angioni ressaltou que o papel de Odair, neste início de trabalho, vem sendo importante para esta integração imaginada pela cúpula.

"Em todos os passos que demos, entendemos que seria o ideal a mescla. Entendemos que temos de ter uma maturidade maior no nosso grupo. Ano passado, sofremos por causa da imaturidade ocasional do jogo", disse o dirigente, que completou:

"O sub-23 é para sustentar uma maturidade do jogo. Entendemos que temos de maturar mais e, graças ao bom Deus, o Odair, que trabalha em uma dinâmica diferenciada, gosta de trabalhar com 30 [jogadores] e nos deu a condições de entender que temos vários jogadores aqui com futuro, que estariam, se não estivessem no sub-23, sendo empestados. Agora, deu uma demonstração. Alguns estão treinando com ele e mostrando grande capacidade".

Atualmente com 23 anos, Matheus Alessandro surgiu na edição de 2012 da Taça das Favelas, competição organizada entre comunidades organizada pela CUFA (Central Única das Favelas) e chegou a ser considerado uma das promessas de Xerém, mas não conseguiu engrenar uma sequência no profissional. Em 2018, o atacante atuou em 32 partidas, porém, foi para o Fortaleza, onde jogou em 16 oportunidades.

Fluminense