PUBLICIDADE
Topo

Futebol


Athletico se diz 'indignado' após ser acusado de aliciamento, e Bota rebate

Bernardo Valim, de 13 anos, é motivo de polêmica entre Botafogo e Athletico - Reprodução/Instagram
Bernardo Valim, de 13 anos, é motivo de polêmica entre Botafogo e Athletico Imagem: Reprodução/Instagram

Do UOL, em Santos (SP)

08/01/2020 18h03

Resumo da notícia

  • Athletico se defendeu da acusação de aliciamento feita pelo Botafogo
  • Polêmica envolve o jovem Bernardo Silva Rocha Valim, de apenas 13 anos
  • "Deturpa os fatos de maneira totalmente nefasta", afirma a nota
  • "Athletico reafirma seu rígido compromisso com a lei e com ética"

O Athletico Paranaense soltou na tarde de hoje (8) uma nota oficial se defendendo da acusação de aliciamento proferida pelo Botafogo a respeito do jovem Bernardo Silva Rocha Valim, de apenas 13 anos, atleta das suas categorias de base.

Segundo o Alvinegro, os paraenses convidaram os pais do adolescente para conhecer melhor a estrutura do clube. Após o encontro, ele entrou em contato com a diretoria de General Severiano para informar seu desligamento.

O Athletico se disse 'surpreso e indignado' com a acusação e afirmou que 'A acusação do Botafogo, lamentavelmente, carece de precedentes verídicos, éticos e legais, sobretudo por ignorar o conteúdo normativo do Movimento de Formação do Futebol Brasileiro (MFFB) e da legislação brasileira pertinente à espécie'.

"O Athletico Paranaense lamenta profundamente a nota publicada pelo Botafogo. Além de expor de maneira imprópria a imagem de um menor de idade, deturpa os fatos de maneira totalmente nefasta, em uma clara tentativa de coagir o atleta e o nosso Clube", acrescenta o clube paranaense.

Botafogo rebate

A resposta do Athletico gerou uma tréplica por parte do Botafogo. O clube voltou a cobrar ética e disse que os paranaenses afrontaram o código de ética constituído pelo Movimento dos Clubes Formadores do Futebol Brasileiro.

O Alvinegro deixa sua lamentação bem clara no sentido de que não se trata de uma questão financeira, mas sobre o relacionamento entre os clubes que tanto se esforçam na formação de seus atletas.

"As questões legais não estão no centro da celeuma, eis que o arcabouço jurídico atual é insuficiente para que clubes formadores possam evitar práticas predatórias como a do presente caso", disse.

Leia as notas completas

Athletico-PR

O Club Athletico Paranaense vem publicamente manifestar surpresa e indignação em face da acusação de aliciamento proferida pelo Botafogo de Futebol e Regatas a respeito de atleta menor de idade (13 anos), na última terça-feira (7), por meio de seu site oficial.

A acusação do Botafogo, lamentavelmente, carece de precedentes verídicos, éticos e legais, sobretudo por ignorar o conteúdo normativo do Movimento de Formação do Futebol Brasileiro (MFFB) e da legislação brasileira pertinente à espécie.

É importante registrar que a proteção contratual jurídico-desportiva de atletas maiores de 12 anos de idade e, por evidência, sem contrato de formação, é condicionada a prévio registro perante o Boletim Informativo Diário (BID) da CBF. Somente por este expediente é que se dá conhecimento da regularidade legal e federativa do atleta perante terceiros.

Aliás, recentemente, o próprio Athletico Paranaense teve um atleta na mesma faixa etária, com participação em algumas súmulas de jogos pelo CAP, que optou livremente por seguir a sua iniciação desportiva em outro grande time, sem qualquer alegação de aliciamento pelo nosso Clube, simplesmente por observar e respeitar a legislação e as normas do MFFB.

No caso em questão, a própria família do atleta menor manifestou interesse em conhecer o projeto e a estrutura do Athletico Paranaense para formação desportiva, já visando a iniciação autorizada por lei, a partir dos 14 anos de idade. A partir daí, o CAP tomou a devida cautela de checar o BID/CBF. Certificando-se que não constava qualquer registro do atleta em nome do Botafogo ou de qualquer outro clube, assim como a alegação da família de que não havia registro, contrato ou até mesmo bolsa-auxílio em seu favor, convidou-o a conhecer as instalações, optando este por aqui firmar e iniciar sua formação desportiva. Não há o que se falar em aliciamento ou qualquer tipo de ilegalidade na conduta do CAP.

Diante deste esclarecimento, o Athletico Paranaense lamenta profundamente a nota publicada pelo Botafogo. Além de expor de maneira imprópria a imagem de um menor de idade, deturpa os fatos de maneira totalmente nefasta, em uma clara tentativa de coagir o atleta e o nosso Clube.

O Athletico Paranaense condena a difamação promovida pelo Botafogo e reafirma seu rígido compromisso com a lei e com ética na formação desportiva.

Botafogo

O BOTAFOGO DE FUTEBOL E REGATAS vem mais uma vez lamentar a postura do CLUB ATHLETICO PARANENSE, que promoveu o aliciamento de um jovem atleta de nossas categorias de Base, afrontando o código de ética constituído pelo Movimento dos Clubes Formadores do Futebol Brasileiro.

Ao contrário do que sugeriu o ATHLETICO por meio de nota oficial, as questões legais não estão no centro da celeuma, eis que o arcabouço jurídico atual é insuficiente para que clubes formadores possam evitar práticas predatórias como a do presente caso.

O cerne da questão envolvendo a postura do ATHLETICO é de relevância suprema e o principal pilar da criação do Movimento dos Clubes Formadores do Futebol Brasileiro: a ética nas relações e condutas nas categorias de Base.

O BOTAFOGO seguirá lutando pela salvaguarda da ética e do respeito nas relações entre os Clubes, em conjunto com os demais valores do Movimento, evitando o retrocesso advindo de antigas e nocivas práticas no Futebol do Brasil.

Futebol