Topo
Comprar ingresso
Comprar ingresso

Inédito em dois meses, tempo de paz corintiano vai de Piracicaba a La Plata

Mauro Boselli durante festa de inauguração do estádio do Estudiantes - Divulgação/Estudiantes
Mauro Boselli durante festa de inauguração do estádio do Estudiantes Imagem: Divulgação/Estudiantes

Lucas Faraldo

Do UOL, em São Paulo

11/11/2019 12h00

Brasil e América do Sul afora estão os jogadores do Corinthians entre ontem (10) e hoje. Isso porque, pela primeira vez em exatos dois meses, o elenco recebeu folga de dois dias consecutivos. Curiosa e coincidentemente, é também o primeiro período de paz do qual os atletas desfrutam desde aquele início de setembro.

Após sequência de oito jogos sem vitória que culminou na demissão do técnico Fábio Carille, o Corinthians engatou vitória em Itaquera sobre o Fortaleza e empate contra o vice-líder Palmeiras como visitante. Diretamente do Pacaembu, a grande maioria do elenco alvinegro "caiu na estrada" para curtir a dobradinha de folga.

"Agora vou para Piracicaba [interior de São Paulo], na casa da minha tia, ver meus primos, tudo corintiano roxo, mas feliz, passar o domingo mais tranquilo, a pressão aqui é grande", contou, ainda no fim de noite de sábado, o goleiro Walter, um dos protagonistas do Corinthians no dérbi do fim de semana.

Mateus Vital no Rio de Janeiro, Ramiro em Porto Alegre, Bruno Méndez no Uruguai, Mauro Boselli na Argentina... Aliás, o centroavante teve certamente o mais importante compromisso no domingo entre os jogadores do Timão: participou da festa de inauguração do novo estádio do Estudiantes de La Plata, clube do qual é ídolo na província de Buenos Aires.

O clima de tranquilidade que naturalmente marca uma viagem (ou dezenas delas) não se fazia presente no Corinthians desde a derrota para o Fluminense, em 15 de setembro, ainda pelo primeiro turno do Brasileirão. Tal revés foi precedido justamente da última folga dupla do elenco, curtida após empate de 2 a 2 com o Ceará.

Dali em diante, o badalado Corinthians, que ainda brigava pelo título do certame nacional e também da Copa Sul-Americana, viu uma série de 14 jogos de invencibilidade se transformar em pesadelo em questão de dois meses: atuações ruins de quarta a domingo, eliminação para o Independiente del Valle e ladeira abaixo na tabela do Brasileiro. O clima infernal atingiu o ápice semana passada com protestos da torcida no CT e terminou com justamente com a troca de Carille por Dyego Coelho no comando do Timão.

Após mostrar evolução na intensidade da forma de jogar em menos de uma semana e lamentar justamente o desgaste físico nos 45 minutos finais do clássico contra o Palmeiras, o Corinthians de Coelho de fato pode se dar ao luxo de descansar. Mas não muito: o Timão se reapresenta para treinar amanhã de manhã e, a partir do próximo domingo (17), quando recebe o Internacional em Itaquera, volta a jogar de domingo a quarta e de quarta a domingo até o fim da temporada — quando aí sim estarão todos liberados para viajar por muito mais do que dois dias. E de preferência com um passaporte na bagagem carimbado para a Libertadores de 2020.

Corinthians