PUBLICIDADE
Topo

Corinthians e Palmeiras empatam com VAR, pênalti perdido e gols no fim

Danilo Lavieri e José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

09/11/2019 20h55

Em clássico com gols marcados nos acréscimos, Palmeiras e Corinthians empataram hoje (9) em 1 a 1 num Pacaembu tomado por torcedores alviverdes. O Dérbi válido pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro teve redes balançadas aos 46 minutos do segundo tempo, por Michel, e aos 48, por Bruno Henrique.

O emocionante empate desta noite ameaça as pretensões de ambos os times na classificação. Enquanto o vice-líder Palmeiras corre risco de ver o Flamengo abrir para dez pontos a diferença que agora é de sete, o sexto colocado Corinthians pode ser ultrapassado pelo Internacional e sair assim da zona de classificação para a Libertadores de 2020. Rubro-negros e colorados jogam amanhã (10), em suas casas, contra Bahia e Fluminense, respectivamente.

Palmeiras e Corinthians voltam a jogar somente no domingo do próximo fim de semana. O Verdão tem compromisso como visitante contra o Bahia, na Arena Fonte Nova, em Salvador. O Timão atua novamente na capital paulista, desta vez em Itaquera, na sua arena, diante do Internacional. Os dois jogos estão agendados para as 16h.

Os melhores: Dudu e Walter

Dudu, com folga, deixou o campo como o melhor palmeirense do Dérbi. Como de costume, o camisa 7 foi o que mais buscou jogo, partiu para cima da marcação dos adversários e foi sempre o dono da bola parada. Por vezes, até faltava alguém para lhe fazer companhia.

O goleiro Walter trabalhou bem e ajudou o time visitante na tentativa de manter o placar zerado. Tranquilo, ainda deu instruções para os companheiros quando necessário. De quebra, defendeu pênalti de Gustavo Scarpa.

Os piores: Gustavo Scarpa e Manoel

Pelo lado palmeirense, Gustavo Scarpa decepcionou. Em tese principal responsável pela armação como substituto do suspenso Lucas Lima, ele errou passes, domínios e até finalização — teve a bola do jogo em seus pés no primeiro tempo. Também se mostrou lento demais principalmente em comparação aos colegas Dudu e Zé Rafael.

Já entre os corinthianos, em algumas oportunidades, Manoel errou passes e não transmitiu segurança para o sistema defensivo alvinegro. Além disso, tinha dificuldade nas jogadas em velocidade do adversário. Também foi dele o toque de mão que originou pênalti para o Palmeiras.

Sem Luiz Adriano, Palmeiras insiste na ligação direta

O Palmeiras ainda não conseguiu colocar em prática o plano que Mano Menezes diz querer, com um jogo com mais transição de bola. Sem Luiz Adriano e com Gustavo Scarpa pouco inspirado, o Alviverde insistiu bastante em ligações diretas e em bolas para Deyverson segurar na frente. Dudu era uma das poucas peças criativas, mas faltou alguém para lhe fazer companhia. Nas bolas paradas, o time paulista não conseguiu ganhar as disputas aéreas e sentiu falta do impulso de Felipe Melo, suspenso.

Corinthians mostra evolução sem Carille, mas precisa melhorar

Apesar do pouco tem sem Carille, o time já mostra um estilo de jogo bem diferente. Mesmo fora de casa e com a pressão da torcida palmeirense, os alvinegros partiram para o ataque e até criaram algumas boas oportunidades, faltando encaixar um último passe mais decente para o centroavante Mauro Boselli. Defensivamente sólidos, os comandados de Dyego Coelho deram espaço para o adversário chegar principalmente pelas laterais — e sofreram com cruzamentos.

Cronologia do jogo

Num primeiro tempo de bastante intensidade e pouca criatividade, apenas uma chance real de gol foi construída. Em subida ao ataque de Dudu, os jogadores de contenção do Corinthians ficaram pelo caminho. Scarpa então foi acionado pelo camisa 7 e bateu cruzado para fora mesmo livre de marcação — restava apenas Walter a sua frente.

O segundo tempo começou com a mesma intensidade, mas mais agitado. Bastaram dez minutos para Deyverson exigir duas defesaças do goleiro corinthiano — uma em cabeceio, outra em chute colocado da entrada da área. Borja, já no fim do clássico, isolou finalização inacreditável em direção ao tobogã.

Um dos principais lances, porém, ficaria para o embate particular de Gustavo Scarpa e Walter num pênalti confirmado pela arbitragem com ajuda do VAR — toque de mão do corinthiano Manoel. O meia palmeirense cobrou mal, e o goleiro alvinegro mostrou estrela ao defender.

Gols mesmo, só nos acréscimos: já aos 46 minutos, o lateral-direito Michel Macedo, um dos mais contestados corintianos da noite, acertou chutaço de longe, no ângulo, para abrir o placar; dois minutos depois, após bate e rebate na pequena área alvinegra, Bruno Henrique estufou as redes de Walter para dar números finais ao Dérbi.

Mano atende torcida imediatamente e chama Willian

A torcida do Palmeiras se irritou bastante com uma tentativa de drible de Zé Rafael e pediu Willian Bigode imediatamente. O coro da torcida que estava atrás de Mano mal tinha começado, e o treinador atendeu ao pedido imediatamente. O atacante foi para aquecimento e entrou justamente no lugar de Zé Rafael.

Crise? Mano dá chance para Borja após troca de farpas públicas

Mano Menezes ignorou as trocas de farpas públicas que teve com Borja e deu chance para o colombiano diante de um praticamente inoperante Deyverson. Durante esta semana, empresário e o próprio camisa 9 deram declarações contestando o comandante após ele ter dito que faltava trajetória para o jogador.

"Pé de Coelho" no gol corintiano

Autor do golaço do Corinthians em chute cruzado pela direita após sobra de uma cobrança de escanteio, Michel Macedo havia sido orientado por diversas vezes pelo técnico Dyego Coelho, antes do escanteio ser batido, para justamente cair por ali à espera de um rebote.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 1 X 1 CORINTHIANS

Data: 9 de novembro de 2019, sábado
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo
Horário: 19h (de Brasília)
Árbitro: Vinicius Gonçalves Dias Araújo (SP)
Assistentes: Marcelo Van Gasse (SP-Fifa) e Miguel Ribeiro da Costa (SP)
VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (SP)
Público/renda: 34.283 pagantes / R$ 1.420.520,00
Cartões amarelos: Marcos Rocha e Thiago Santos (Palmeiras); Gabriel (Corinthians)

Gols: Michel Macedo, aos 46, e Bruno Henrique, aos 48 minutos do segundo tempo

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha, Gustavo Gómez, Vitor Hugo e Diogo Barbosa; Thiago Santos, Bruno Henrique e Gustavo Scarpa (Carlos Eduardo); Zé Rafael (Willian), Dudu e Deyverson (Borja). Técnico: Mano Menezes

CORINTHIANS: Walter, Michel Macedo, Manoel, Gil, Danilo Avelar; Gabriel, Júnior Urso, Ramiro (Vagner Love), Pedrinho (Mateus Vital) e Janderson (Clayson); Mauro Boselli. Técnico: Dyego Coelho