PUBLICIDADE
Topo

Flamengo

Flamengo e Grêmio vivem guerra de egos e palavras antes da bola rolar

Presidente Romildo Bolzan (e) e técnico Renato Gaúcho (d) acompanham treino do Grêmio. Dupla agitou o clima antes do jogo - Lucas Uebel/Grêmio
Presidente Romildo Bolzan (e) e técnico Renato Gaúcho (d) acompanham treino do Grêmio. Dupla agitou o clima antes do jogo Imagem: Lucas Uebel/Grêmio

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

01/10/2019 04h00

Flamengo e Grêmio afiam suas armas para a semifinal de amanhã (2), às 21h30, na capital gaúcha, mas o duelo fora de campo começou muitos dias antes do clássico decisivo pela Libertadores.

A guerra verbal teve início com o presidente gremista Romildo Bolzan, que acusou o adversário de soberba. Em evento eleitoral de sua chapa ao Conselho Deliberativo, o dirigente deu início ao embate dos bastidores.

"Estamos adorando esse ambiente criado pelo Flamengo. Não tem coisa melhor para nós do que essa soberba, essa arrogância, esse sentimento hegemônico e essa capacidade de que a imprensa já fez eles jogarem com o Liverpool lá no final do ano, essas coisas todas que a gente sabe como acontecem", disparou.

Ainda que o tricolor tenha sugerido uma postura de superioridade do Rubro-negro, o tom, ao menos publicamente, é de respeito ao Grêmio. Após a declaração de Bolzan, o presidente Rodolfo Landim, em entrevista ao "O Globo", tentou colocar água na fervura:

"O Romildo é uma pessoa super elegante, não sei da onde ele tirou essa ideia. O que existe são jogadores focados e a torcida feliz depois de seis vitórias. O ambiente realmente é bom, mas não tem soberba nenhuma. Sandálias da humildade".

O gesto de Landim não foi suficiente para pacificar o ambiente e o técnico Renato Gaúcho tentou "criar um clima" com o português Jorge Jesus. Renato questionou uma suposta falta de títulos do adversário, disse que ele jamais trabalhou em um grande centro europeu e jogou o favoritismo todo para os cariocas.

"Eu fico curioso pelo trabalho maravilhoso que ele vem fazendo no Flamengo. Quando ele saiu de Portugal, ele foi para a Arábia. Isso que me surpreende, pela capacidade dele como treinador e o currículo. Ele (Jesus) tem três ou quatro títulos, mas somente em Portugal. Então, essa que é a minha surpresa com ele. Ele está fazendo um trabalho maravilhoso? Ele tem uma seleção nas mãos? Sim. Tem uma seleção nas mãos, mas não adianta nada se não for capacitado para treinar", afirmou.

Conhecido por não ter papas na língua, o "Mister" não caiu na pilha, cabendo a Marcos Braz responder com uma indireta. Sem citar o nome de Alexandre Mendes, ele sugeriu que o auxiliar é o responsável pelo sucesso de Renato.

Marcos Braz - Foto:Alexandre Vidal / Flamengo - Foto:Alexandre Vidal / Flamengo
Imagem: Foto:Alexandre Vidal / Flamengo

"Não vou falar nada em relação ao Renato. É um grande treinador, tem um auxiliar (Alexandre Mendes) que é fundamental no processo. O auxiliar do Renato é muito acima da média no futebol brasileiro, é esse um dos grandes sucessos lá do Grêmio. E do Renato eu não vou falar, a gente respeita muito ele, foi atleta nosso aqui. Fui no Maracanã torcer muito para ele", disparou.

Em meio ao jogo de palavras e egos inflados, um dos jogos mais aguardados dos últimos tempos já começou. Na hora que o juiz apitar, vai ganhar quem for melhor com a bola nos pés.

Posse de Bola - Arnaldo Ribeiro: "Flamengo morde, se entrega. E isso tem um preço"

UOL Esporte

O Posse de Bola é o novo podcast do UOL sobre futebol, com Arnaldo Ribeiro, Eduardo Tironi, Juca Kfouri e Mauro Cezar Pereira. Você pode ouvir em seu tocador favorito, quando quiser e na hora que quiser. O Posse de Bola está disponível no Spotify e na Apple Podcasts. Basta buscar o nome do programa e dar play no episódio desejado. No caso do Posse de Bola, é possível ainda ouvir via página oficial do UOL e YouTube do UOL. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

Flamengo