Topo

Seleção Brasileira


O que fez Tite convocar Marcinho, do Botafogo, para a seleção brasileira?

Marcinho vai receber chance de Tite nos próximos dois amistosos da seleção - VITOR SILVA/SSPRESS/BOTAFOGO
Marcinho vai receber chance de Tite nos próximos dois amistosos da seleção Imagem: VITOR SILVA/SSPRESS/BOTAFOGO

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

27/09/2019 17h41

Resumo da notícia

  • De 23 anos, Marcinho chamou a atenção de Tite por sua ofensividade
  • O jogador do Botafogo é sobrinho de Oswaldo de Oliveira e Waldemar Lemos
  • Chance a Marcinho faz parte de um movimento de renovação e busca de opções
  • Lateral direita é uma das posições mais críticas na procura por revelações

O torcedor que não está tão acostumado a acompanhar o dia a dia de Tite na sede da CBF pode se surpreender, mas, sim, Marcinho, lateral do Botafogo, hoje é oficialmente um jogador de seleção brasileira.

Nesta sexta (27), o técnico Tite anunciou o botafoguense como substituto de Danilo, que, lesionado, foi cortado dos amistosos contra Senegal e Nigéria, em Cingapura, nos dias 10 e 13 de outubro.

Aos 23 anos, Marcinho já está no radar de Tite desde o ano passado. Mas por que ele? O treinador da seleção brasileira tem nas laterais, especialmente na direita, uma das principais lacunas para a renovação do time que poderá disputar a Copa do Mundo do Qatar, em 2022. Atacante de origem nas categorias de base, ele chamou a atenção pelo apoio que fornece à equipe quando passa do meio-campo.

O próprio atleta já reconheceu que precisa melhorar no aspecto defensivo e começou a trabalhar neste aspecto antes mesmo de ter sido citado por Tite. Seu principal sonho, como a da maioria dos atletas, era de vestir a camisa da seleção um dia. Esse sonho está mais perto agora. Ele vai agora se apresentar em um grupo no qual está incluído Daniel Alves, referência da posição há uma década já.

Marcinho, então, ganha sua notoriedade em uma família de "boleiros" que conta com membros como Oswaldo de Oliveira, ex-técnico do Fluminense, e o irmão Waldemar Lemos. O pai dele também já atuou como atleta profissional.

Hora de testar

Na hora de falar sobre a lateral da seleção brasileira, é preciso ter em mente sempre a dificuldade que Tite encontra para renovar a posição. Conforme o UOL Esporte já mostrou, o treinador optou por não convocar nomes como o de Fagner, do Corinthians, ou até de Rafinha, do Flamengo. A ideia é observar novas opções para a posição. Mas isso não quer dizer que os mais conhecidos pelo técnico não estão descartados para as convocações do ano que vem para Eliminatórias e Copa América.

Outra consideração: Tite abriu mão de atletas foram convocador por André Jardine para a seleção olímpica, para que o jovem treinador tenha tranquilidade para formar o time que brigará pela vaga — e, eventualmente, uma medalha — nas Olimpíadas de Tóquio de 2020.

Tite quer usar os amistosos até o ano que vem para aumentar seu leque de opções, em movimento semelhante ao que fez entre a Copa do Mundo e a Copa América. Os jogos que valem vaga para o Mundial começam no ano que vem.

Fora de campo, Marcinho chamou a atenção no Botafogo por ser um atleta que se preocupa mais do que a média com os estudos. Ele começou a cursar administração e comandou a carreira até há pouco tempo apenas com o apoio dos pais, sem empresários. Recentemente, ele optou por assinar com a OTB, empresa que trabalha com atletas como Paolo Guerrero, do Internacional, e Bruno Henrique, do Palmeiras.

Mais Seleção Brasileira