Topo

Botafogo sofre com retranca, só empata com a Chape e fica longe do G-6

Do UOL, no Rio de Janeiro

26/08/2019 21h55

O Botafogo acertou a trave e viu Gum salvar em cima da linha. Gol que é bom, não aconteceu. O time não conseguiu furar a retranca da Chapecoense e só empatou por 0 a 0 nesta segunda-feira, no Nilton Santos. A torcida não gostou nem um pouco do que viu e vaiou o time após o apito final.

O resultado é péssimo para o Botafogo que poderia colar na zona de classificação para a Libertadores. Com o empate, o Alvinegro chega aos 23 pontos e termina a rodada na mesma 9ª colocação. Já a Chape vai a 14, mas segue na zona de rebaixamento, em 17º.

Os melhores: Gabriel

Zagueiro do Botafogo teve atuação bastante sólida e mostrou categoria na saída de bola. Virou armador em vários momentos e ajudou como pôde da defesa.

Os piores: Lucas Campos e Luiz Fernando

Os pontas do Botafogo tiveram partida para ser esquecida. Tanto Lucas Campos como Luiz Fernando erraram bastante nas jogadas individuais e fizeram o time inofensivo ofensivamente.

Vaiado, Camilo para em Gatito

Ex-jogador do Botafogo, Camilo logo percebeu que a noite seria de muitas vaias por parte da torcida da casa. O apoiador, no entanto, não se intimidou e era o principal jogador na criação das jogadas. Ele tentava o tempo todo se aproximar de Everaldo e tornar a Chapecoense perigosa nos contra-ataques. A melhor oportunidade dos visitantes ocorreu aos 23min, quando recebeu na entrada da área e chutou firme para boa defesa de Gatito Fernández.

Botafogo é lento e sofre com retranca

O Botafogo voltava a apresentar os mesmos problemas de outros jogos. O time ficava com a posse de bola, mas tinha dificuldade de chegar ao gol adversário. A retranca era bem postada, e o Alvinegro não conseguia superá-la. Passou a abusar dos cruzamentos, que levaram certo perigo. Diego Souza, inclusive, teve seu único momento no primeiro tempo ao cabecear para fora.

Pontas erram dribles e deixam Bota inofensivo

Eduardo Barroca armou o Botafogo com dois pontas, Lucas Campos, pela direita, e Luiz Fernando, pela esquerda. A dupla tinha total liberdade para tentar jogadas individuais próximo do gol. O problema é que eles não estavam levando a melhor sobre os adversários, e o Alvinegro não conseguia oferecer perigo a não ser com cruzamentos. Na única boa jogada pelas pontas, com Alex Santana, o Alvinegro quase abriu o placar.

Diego Souza reclama no intervalo

O primeiro tempo do Botafogo não foi nada bom. A insistência em jogadas que não davam certo e a lentidão para chegar ao ataque impediu o time de ser mais perigoso. Centroavante da equipe, Diego Souza ficou isolado e quase não participou do jogo, consequentemente. Ele desaprovou a atuação e prometeu segundo tempo diferente. "Fazer o básico em casa vai ser esse joguinho aí", disse.

Alex Santana acerta a trave em escanteio

O Botafogo voltou do intervalo com mais vontade ao menos. Como de costume, as bolas paradas eram a principal arma para chegar ao gol adversário. E o primeiro gol quase saiu dessa forma. Em cobrança de escanteio, Alex Santana subiu mais que Gum e carimbou a trave de Tiepo.

Diego Souza quase marca

A torcida já ia perdendo a paciência quando o Botafogo quase abriu o placar. Gustavo Bochecha fez lançamento com extrema categoria e deixou Diego Souza em grande situação. O centroavante tocou por baixo de Tiepo, mas Gum tirou em cima da linha. Quase o primeiro.

Diego Souza quase marca (2)

Melhor opção ofensiva, Diego Souza ficou no quase novamente. Após confusão na área, a bola sobrou para o camisa 9, que estava de costas para o gol de Tiepo. Ele improvisou e deu uma puxeta. A bola passou raspando a trave da Chape.

BOTAFOGO 0 X 0 CHAPECOENSE

Data e hora: 26/08/2019, às 20h (horário de Brasília)
Local: Estádio Nilton Santos (Engenhão)
Arbitragem: Edna Alves Batista (SP)
Auxiliares: Marcelo Van Gasse (SP) e Ivan Carlos Bohn (PR)
VAR: Rodrigo Ferreira do Amaral (SP)
Cartões amarelo: Marcinho e Victor Rangel (BOT) Everaldo (CHA)
Gols:

Botafogo
Gatito Fernandéz; Marcinho, Joel Carli, Gabriel e Gilson; Bochecha, Alex Santana e João Paulo (Marcos Vinícius); Luiz Fernando (Rhuan), Lucas Campos (Victor Rangel) e Diego Souza
Técnico: Eduardo Barroca

Chapecoense
Tiepo, Eduardo, Gum, Maurício Ramos e Bruno Pacheco; Márcio Araujo, Campanharo, Augusto (Renato Kayzer) e Camilo (Amaral); Arthur Gomes (Bryan) e Everaldo
Técnico: Emerson Cris