Topo

Antes xodó, Luan vê relação com torcida do Atlético-MG ruir em pouco tempo

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

25/08/2019 04h00

Xodó da torcida por anos e sempre ovacionado em jogos no Independência e no Mineirão, Luan viu a sua relação com o Atlético-MG ruir nos últimos meses. O atacante de 29 anos foi novamente vaiado em um jogo da equipe como mandante.

Presente em campo por 72 minutos, o atleta foi substituído por David Terans por opção técnica. A resposta do público à atuação foi imediata - Luan recebeu muitas vaias ao deixar o gramado e ir rumo ao banco de reservas.

Cabisbaixo, ele caminhou até o local, onde ficou com os colegas de elenco até o fim do confronto com o Bahia, ocorrido na manhã de ontem. Mesmo com a reação negativa dos mais de 22 mil que foram ao local, Rodrigo Santana crê que Luan fez um bom jogo.

"O Luan foi bem enquanto estava com intensidade. A gente sabe que era 11 horas da manhã, ele lutou muito para criar e marcar. Enquanto ele estava em campo, esteve muito bem", disse em entrevista coletiva.

Esta, porém, não é a primeira vez que o jogador é vaiado em um jogo do Atlético na temporada. Aconteceu também depois do pênalti perdido contra o Fortaleza, no empate por 2 a 2, pelo Campeonato Brasileiro.

A atuação no jogo anterior - o triunfo por 2 a 0 sobre o Cruzeiro pela volta das quartas de final da Copa do Brasil - foi o princípio do fim da lua de mel. Após uma atuação individual abaixo da média do elenco, ele não foi vaiado, mas passou a ser visto de outra forma.

Hoje, o atacante não goza do mesmo prestígio com a torcida. E a relação reflete em campo. Luan é reserva do Atlético e só entrou em campo na manhã de ontem por conta da ideia da comissão técnica de poupar os seus titulares para o jogo com o Deportivo La Equidad, da Colômbia, pela Sul-Americana.