Topo

Futebol


Imprensa francesa aponta "sinais de reconciliação" entre Neymar e PSG

Neymar em treino do Paris Saint-Germain - Philippe Wojazer/Reuters
Neymar em treino do Paris Saint-Germain Imagem: Philippe Wojazer/Reuters

Do UOL, em São Paulo

24/08/2019 07h51

A situação de Neymar segue indefinida no PSG, mas, segundo a imprensa francesa, já existem "sinais de reconciliação" entre atacante e clube.

O jornal "L´Equipe" publicou hoje (24) que as negociações sobre o futuro de Neymar seguem acontecendo. Após recusar uma proposta do Real Madrid de 100 milhões de euros e que envolveria a ida de Bale, James e Navas para a capital francesa, o PSG ainda vê Barcelona e Juventus estudarem a melhor forma de formalizar um acordo.

Enquanto uma possível transferência é discutida, o atacante segue treinando no clube francês. A reportagem destaca que Neymar e Leonardo, diretor esportivo do PSG, voltaram a conversar nos últimos dias e a situação evoluiu, tanto que um possível retorno do atacante aos gramados é cogitado. Contudo, algumas questões pesam neste momento.

O atacante pode ser relacionado para a partida contra o Toulouse amanhã, fora de casa, pelo Campeonato Francês. Só que, de acordo com a imprensa francesa, há um temor pelos protestos que deverão ser destinados ao atacante mesmo que ele não entre em campo.

Barcelona aguarda resposta do PSG

Após ver o rival merengue ter sua última proposta recusada, o Barcelona segue tentando fechar um acordo com o clube francês pelo atacante. Só que nem Barcelona, nem Neymar querem fazer movimentos mais efetivos para que a negociação avance.

Segundo o jornal espanhol "Mundo Deportivo", o Barcelona espera que Neymar manifeste seu desejo de retornar ao clube para aumentar o valor oferecido ao PSG. Já o atacante evita fazer qualquer tipo de pronunciamento público, mas pressiona nos bastidores para que uma proposta melhor seja apresentada.

A diretoria catalã crê que fez uma oferta justa para contar com o astro: dois anos de empréstimo, com valor de recompra não obrigatória de 120 milhões em 2020. Caso contrário, seria ativada uma nova cláusula de compra, desta fez obrigatória, de 170 milhões de euros em 2021.

O Barcelona ainda descarta envolver jogadores como Dembélé ou Semedo na negociação, já que eles não teriam demonstrado interesse em mudar de clube nesta temporada.

Mais Futebol