Topo

Presidente do Ceará compara Lisca a Ceni e põe clube em segundo no Nordeste

Presidente do Ceará, Robinson de Castro dá entrevista coletiva - Mauro Jeferson/ Ceará SC
Presidente do Ceará, Robinson de Castro dá entrevista coletiva Imagem: Mauro Jeferson/ Ceará SC

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL, em São Paulo

20/08/2019 04h00

Presidente do Ceará, Robinson de Castro vê o clube como o segundo maior do Nordeste na atualidade, atrás do Bahia e à frente do Fortaleza. Para ele, nem mesmo a atenção atraída por Rogério Ceni durante sua passagem pelo rival é suficiente, já que ele compara a força midiática de Lisca, ex-técnico do Vozão, com a do hoje treinador do Cruzeiro.

"Colocamos as contas em dia, estamos investindo em estrutura. Hoje só estamos atrás do Bahia, que também faz um belo trabalho. Clubes como Sport e Vitória têm tradição, mas perderam muito em não estar na Série A nesse ano. Tiveram 30 anos na nossa frente, e agora vão precisar remar", disse Robinson, em entrevista ao programa "Bola Rolando", do canal BandSports.

A declaração se dá em momento em que o Fortaleza é o atual campeão da Copa do Nordeste e do Campeonato Cearense, títulos conquistados no primeiro semestre quando a equipe ainda era comandada por Rogério Ceni. Porém, as conquistas do rival não alteram a opinião do presidente do Ceará.

"Ele chegou e nós ainda ganhamos um estadual dele", provocou, citando o título de 2017. "Houve um momento em que as coisas até se confundiam, não sabíamos quem era maior, se o Fortaleza ou o Rogério Ceni", disparou, comparando o poder midiático do ex-goleiro com o de Lisca, que treinou o Vozão entre 2018 e 2019 em sua mais recente passagem pelo clube. "Nós tínhamos o Lisca, que também tem essa coisa midiática, é carismático", opinou..

Apesar da rivalidade, Ceará e Fortaleza dividem hoje a administração do Castelão. "Não fazia sentido separar. Temos os mesmos fornecedores, as mesmas necessidades", declarou Robinson, que não descarta a possibilidade da construção de um estádio para o alvinegro no futuro. "Se chegarmos a 50 mil sócios em dia, quem sabe?", questionou, afirmando que, o Vozão conta hoje com pouco mais de 10 mil sócios.

Robinson de Castro: é preciso capacitar os árbitros

Band Sports