Topo

Scarpa volta após novo capítulo de "maré de azar" no Palmeiras; relembre

Scarpa é o artilheiro do Palmeiras na temporada - JORGE PAYARES/EFE
Scarpa é o artilheiro do Palmeiras na temporada Imagem: JORGE PAYARES/EFE

Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

21/05/2019 04h00

O meia Gustavo Scarpa voltou ontem a treinar com o elenco do Palmeiras e pode estar à disposição para o jogo de amanhã, pela Copa do Brasil, contra o Sampaio Corrêa, no Maranhão. O mais provável, porém, é que ele só retorne ao time no sábado, contra o Botafogo, pelo Brasileirão. O camisa 14 está recuperado de uma lesão incomum que foi o capítulo mais recente da "maré de azar" que já atrapalhou várias vezes sua sequência no Verdão.

Desde que chegou ao Palmeiras, no início do ano passado, Scarpa já teve problemas de todo tipo que o tiraram de campo e cortaram bons momentos que o meia vivia. E a sina se repetiu agora, logo em sua melhor fase no clube, abrindo chance para outros meias, como Raphael Veiga, ganharem espaço. Relembre os outros obstáculos e infortúnios enfrentados pelo jogador, que é o artilheiro da equipe na temporada, com sete gols:

1 - A chegada sem pré-temporada

Contratado no meio de janeiro de 2018, Scarpa chegou ao Palmeiras sem pré-temporada, já que não vinha treinando com o Fluminense por ter entrado na Justiça para se desvincular do clube carioca. Como consequência, demorou mais para entrar em forma e começar a jogar com frequência no Verdão. Ele passou por um programa particular para ganho de força e massa muscular e foi entrando aos poucos na equipe, ainda sob o comando de Roger Machado.

2 - O problema jurídico

Quando estava começando a engrenar no Palmeiras, Scarpa sofreu um duro baque: o Fluminense conseguiu restabelecer na Justiça o contrato que tinha com o jogador, o que impedia que ele entrasse em campo pelo Palmeiras. Entre idas e vindas nos tribunais trabalhistas do Rio, foram quatro meses sem jogar profissionalmente, mantendo a forma apenas com treinos particulares e peladas em Hortolândia, cidade do interior paulista onde vive sua família.

3 - No banco com Felipão

Depois de um acordo entre Palmeiras e Flu, Scarpa enfim pôde defender o Palmeiras novamente no segundo semestre. Voltou fazendo bons jogos sob o comando de Roger, mas o técnico foi logo demitido, e Felipão chegou com a ideia clara de utilizar um centroavante de ofício. Deyverson virou titular imediato, Willian foi deslocado do comando do ataque para a ponta, e Scarpa, que vinha atuando aberto pela direita, perdeu sua vaga no time.

4 - Machucado na primeira chance

No primeiro jogo como titular com Felipão, a má sorte atacou com força: Scarpa saiu no intervalo sentindo dores no calcanhar. O que parecia um problema simples se revelou um processo inflamatório, que tornou a recuperação da lesão mais lenta. Foram mais dois meses se recuperando e sem pisar em um gramado para um jogo de futebol. Por isso, ele teve pouca participação na campanha do título brasileiro.

5 - Na melhor fase, nova lesão

Não resta dúvida que Scarpa era um dos melhores jogadores do Palmeiras em 2019, até ter mais uma lesão pouco comum. Nos 13 minutos em que ficou em campo contra o San Lorenzo na Libertadores, o meia fez o gol da vitória, sofreu uma pancada na perna e saiu machucado. O problema foi na parte de trás do joelho, no início da panturrilha, e o Verdão evitou dar um prazo de recuperação. Depois de duas semanas de tratamento, ele agora está próximo de voltar aos gramados.