Topo

Palmeiras supera protestos, vence e fica perto de avançar na Libertadores

Jogadores do Palmeiras comemoram o gol de Dudu durante partida contra o Junior Barranquilla pela Libertadores 2019 - Marcello Zambrana/AGIF
Jogadores do Palmeiras comemoram o gol de Dudu durante partida contra o Junior Barranquilla pela Libertadores 2019 Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Danilo Lavieri e Flavio Latif

Do UOL, em São Paulo

10/04/2019 23h20

O que era para ser apenas festa da vitória se transformou em um misto de felicidade com tristeza no jogo de hoje no Allianz Parque. O Palmeiras venceu o Junior Barranquilla por 3 a 0, encaminhou a sua classificação para o mata-mata da Libertadores, mas não nem conseguiu comemorar direito. Deyverson, Dudu e Hyoran, autores dos gols, sequer se direcionaram às arquibancadas para a tradicional celebração com a torcida.

Tudo porque, antes de a bola rolar, um grupo ainda não identificado atirou pedras e outros objetos na direção do ônibus que levava a delegação do Palmeiras para o estádio. Vidros foram quebrados, mas ninguém ficou ferido. O episódio abalou diretoria, comissão técnica e elenco. Depois, já no aquecimento, os atletas iniciaram os trabalhos ouvindo da organizada que eram pipoqueiros. Mais cedo, as paredes do clube amanheceram com protestos contra time e até mesmo Leila Pereira, dona da Crefisa.

Dentro de campo, no entanto, o Palmeiras superou a pressão e sofreu pouquíssimos riscos. Com um time titular modificado, sem Ricardo Goulart e com Zé Rafael entre os titulares, a equipe brasileira não foi brilhante, mas viu Weverton passar quase despercebido no jogo.

Com o triunfo, o Alviverde chega a nove pontos e fica na segunda colocação, bem perto do líder San Lorenzo, que tem 10, e com folga para o terceiro colocado, que tem quatro. Para garantir a vaga na próxima fase, a equipe de Felipão precisa empatar na próxima rodada, já que faz confronto direto com o Melgar, adversário no próximo compromisso, marcado para o dia 25 de abril.

Deyverson comemora seu gol com Dudu durante partida do Palmeiras - Marcello Zambrana/AGIF
Deyverson comemora seu gol com Dudu durante partida do Palmeiras
Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

O melhor: Dudu

Após atuações apagadas nas últimas partidas, o atacante Dudu voltou a ser o destaque do Palmeiras. O camisa 7 foi o jogador mais participativo da equipe. Além de sofrer a falta que originou o gol que abriu o placar no Allianz Parque, o jogador marcou um belo gol na segunda etapa, com um chute forte da entra da área, e deu assistência para Hyoran no terceiro.

O pior: Luis Díaz

O atacante do Junior Barranquilla não deu trabalho para defesa do Palmeiras e perdeu bolas no setor ofensivo. Além disso, levou cartão amarelo no fim do primeiro tempo e acabou sendo substituído aos dez minutos da etapa complementar.

Protestos e violência antes de a bola rolar

Antes de o jogo começar, o ambiente foi dominado por protestos. Antes mesmo de a delegação entrar no estádio, o ônibus dos jogadores foi atacado por pedras e outros objetos, quebrando vidros do veículo, mas não ferindo ninguém. Depois, antes de a bola rolar, foi a vez de a torcida organizada gritar "time pipoqueiro" para os atletas que aqueciam em campo. Os torcedores presentes em outros setores tentaram abafar o protesto.

Dudu, Scarpa e Zé Rafael

O técnico Felipão optou pela entrada de Zé Rafael no lugar de Ricardo Goulart. O ex-Bahia atuou pelo lado esquerdo, com Scarpa centralizado e Dudu caindo pelo lado direito. A dinâmica entre eles funcionou bem, a equipe conseguiu colocar mais a bola no chão e evitou o número excessivo de bolas alçadas na área do adversário. Substituído no segundo tempo, Zé Rafael foi bastante aplaudido.

Palmeiras não sofre perigo e abre o placar

Depois de o apito inicial, a torcida deixou o protesto de lado e apoiou o time. O Palmeiras dominou as ações, correu pouco risco e quase não viu Weverton trabalhar, com exceção de um chute contra a própria meta de Luan. Aos 19 minutos, o time conseguiu abrir o placar. Dudu recebeu bola pela esquerda e chutou cruzado, de chapa. O goleiro conseguiu fazer a defesa e deu rebote para Deyverson, que cabeceou para abrir o placar. Na comemoração, nenhum atleta foi para a torcida. Todos se reuniram no banco para a celebração.

Dudu amplia no 2º tempo e encaminha vitória

O Palmeiras voltou ao gramado sem alterações e com uma leve cobrança de sua torcida por uma dominância maior dentro de campo. O resultado foi rápido. Dudu aproveitou passe de Bruno Henrique em batida de falta rápida e deu belo chute de fora da área. O goleiro do Junior Barranquilla nada pôde fazer a não ser pegar a bola do fundo das redes.

Gustavo Scarpa perde gol incrível

Com o jogo já resolvido, o Palmeiras passou a se defender mais e explorar os contra-ataques. Foi assim que Felipe Pires, que entrou no segundo tempo, disparou pela direita e viu Gustavo Scarpa sozinho entrando do outro lado da área. Com o toque perfeito, o ponta deixou o meio-campista livre para ampliar o placar. O camisa 14, no entanto, conseguiu o mais difícil e viu o goleiro rival fazer excelente defesa.

Dudu dá assistência de craque, e Hyoran amplia

O jogo já estava resolvido, e o Palmeiras conseguiu ampliar o marcador. Usando o calcanhar, Dudu deu assistência de craque para Hyoran e viu o companheiro aumentar a vitória.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 3 x 0 JUNIOR DE BARRANQUILLA

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data: 10/04/2019 (quarta-feira)
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Roberto Tobar (Chile)
Assistentes: Raúl Orellana e Edson Cisternas (Chile)
Público: 28.791 presentes
Renda: R$ 1.698.179,85
Gols: Deyverson (19 min do 1º tempo), Dudu (10 min do 2º tempo) e Hyoran (44 min do 2º tempo)
Cartões amarelos: Rafael Pérez, Luis Díaz (JRB); Luan, Bruno Henrique (PAL)

Palmeiras: Weverton; Mayke, Luan, Gustavo Gómez e Diogo Barbosa; Bruno Henrique e Felipe Melo; Gustavo Scarpa (Hyoran), Zé Rafael (Felipe Pires) e Dudu; Deyverson (Ricardo Goulart). Técnico: Luiz Felipe Scolari

Junior de Barranquilla: Sebastián Viera; Piedrahita, Rafael Pérez, Jefferson Gómez e Germán Gutiérrez; Cantillo, Narváez, Sebastián Hernández (Moreno) e Sambueza; Teo Gutiérrez e Luis Díaz (Fredy Hinestroza) (Rangel). Técnico: Luis Fernando Suárez