Topo

Futebol


Cria de Mano no Grêmio, Léo atinge 350 jogos e status de líder no Cruzeiro

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

08/04/2019 04h00

Capitão do Cruzeiro no último sábado, Léo abriu o placar da semifinal que terminou com a vitória por 3 a 0 diante do América-MG. Mas o clássico no Mineirão foi ainda mais especial para o zagueiro. Aos 31 anos, o defensor atingiu a marca de 350 jogos pelo clube celeste, feito raro hoje em dia e só alcançado por outros dois jogadores do atual elenco. Revelado por Mano no Grêmio, ainda em 2007, Léo passou por uma transformação em mais de dez anos, e, hoje, é visto como exemplo a ser seguido na Toca da Raposa. Não bastasse a longevidade, suas características técnicas e dedicação diária como profissional são exemplares.

Mano Menezes já havia falado em outras ocasiões que elogiar seu zagueiro é algo fácil de ser feito. Apesar de já ter passado dos 30, seu primeiro bom exemplo começa na dedicação aos treinos. Considerado por muitos o primeiro a chegar e o último a sair, faz questão de estar sempre em dia com a forma física. O resultado disso é que no final de cada temporada, o zagueiro é um dos primeiros na lista de atletas que mais entraram em campo. Mesmo com os rodízios realizados ao longo dos anos, dificilmente o defensor fica fora. Exemplo disso é que ele já entrou em campo por 15 vezes em 2019, todas como titular. Em 17 jogos oficiais do time, somente Fábio tem números superiores.

"Celebrar esses 350 jogos pelo Cruzeiro com gol é uma alegria maior ainda. Poder ajudar os meus companheiros a buscar o título, a buscar os objetivos, a classificação para a final", comentou o zagueiro, que marcou seu 20º gol pelo clube.

Se hoje Léo é o modelo a ser seguido no Cruzeiro de Mano, pode-se dizer também que os primeiros traços da personalidade do zagueiro começaram a se formar também com a ajuda do treinador. Apesar de ser mineiro, Léo deixou Belo Horizonte cedo e iniciou sua carreira profissional no Grêmio, aos 14 anos. Foi lá que ele atuou nas categorias de base e se tornou profissional em 2007. Aquele seria o último ano de Mano no clube, mas antes de se mudar para o Corinthians, o treinador ainda pôde promover Léo ao elenco principal e acompanhar os primeiros passos do zagueiro, até então com 19 anos. Mesmo depois da saída do comandante, as atuações no Tricolor ainda renderam a Léo o chamado de outro técnico gaúcho, sendo lembrado por Dunga para um amistoso contra a Suécia.

"O Léo e eu temos uma relação antiga. Eu lancei o Léo no profissional Grêmio com 20 anos (19). Depois, nos encontramos novamente no Cruzeiro. Ele é um profissional extraordinário, exemplar para todos nós. A maneira como ele se entrega no dia a dia, só colhe os frutos daquilo que ele mesmo merece. É mais um capítulo dessa grande trajetória que ele está escrevendo, principalmente aqui no Cruzeiro", disse Mano Menezes.

Em relação ao número das partidas, apenas dois jogadores do Cruzeiro superam o zagueiro. O primeiro é Fábio, goleiro que já bateu a marca de 800 jogos e é o atleta que mais atuou na história do clube. O outro é Henrique, que pega a braçadeira de capitão quando está em campo. O volante já se aproxima dos 500 compromissos pela Raposa. Na história quase centenária do clube, Léo já está entre os 24 jogadores com mais partidas. Se repetir a quantidade de atuações dos últimos anos, ainda poderá subir de quatro a seis degraus ao fim da temporada.

Futebol