Topo

Futebol


Firma de Ronaldinho vende sonho de carrão e vida de luxo a quem pagar R$999

18kRonaldinho promete ganhos no marketing multinível - Divulgação
18kRonaldinho promete ganhos no marketing multinível Imagem: Divulgação

Adriano Wilkson

Do UOL, em São Paulo

28/03/2019 04h00

Da associação do ex-jogador Ronaldinho Gaúcho com uma marca de relógios nasceu a empresa 18kRonaldinho, que promete experiências de luxo a clientes que entrarem em seu programa de marketing multinível. Viagens com tudo pago a Cancun, Bora Bora ou Costa do Sauipe, cruzeiros pelo litoral brasileiro e Porsches Panamera estão entre as premiações oferecidas pela empresa em troca da venda de produtos ou da indicação de novos membros.

"O dinheiro é abençoado", discursou Athos Trajano em uma palestra para apresentar a empresa na última quinta-feira (21) em São Paulo, à qual a reportagem compareceu sem se identificar. "Você está pronto para mudar de vida?", perguntava a recepcionista do evento. Durante as apresentações, líderes da empresa incentivaram o público, formado na maioria por jovens de classe média ou baixa e fãs do jogador, a deixarem empregos com carteira assinada para abraçar o empreendedorismo.

Empresas que dizem praticar marketing multinível costumam entrar no radar da Justiça quando o modelo de negócio tem indícios de configurar uma pirâmide financeira - prática criminosa que consiste em fraude contra a economia popular. O delegado da Polícia Civil do Rio Grande do Sul Fernando Branco explica que um negócio passa a ser ilegal quando a empresa começa a dar uma "desimportância" à venda do produto e enfatiza a aquisição de novos membros.

"Esse modelo é bom para quem está no topo da pirâmide, mas quem vem abaixo acaba saindo no prejuízo", afirma Branco, ressaltando que não conhece detalhes sobre a operação da 18kRonaldinho. Ele foi o responsável pela investigação que em 2018 desbaratou o esquema da D9 Clube de Empreendedores, que gerou prejuízo de R$ 200 milhões e levou Danilo Santana, o cabeça, à prisão.

Os palestrantes da 18KRonaldinho enfatizam o convite a novos membros como forma de subir na hierarquia da empresa, mas a diretoria não acredita que o modelo se assemelhe a uma prática fraudulenta. Em contato com a reportagem, o proprietário Marcelo Lara afirmou que reformulou o quadro diretivo depois que identificou que seus antigos executivos já haviam se envolvido em esquemas de pirâmide.

Para o CEO Bruno Rodrigues, a 18kRonaldinho não pode ser considerada uma pirâmide porque não promete lucros com "facilidade". "A primeira característica de uma pirâmide é ela garantir um retorno financeiro e ninguém tem como garantir isso. Uma pirâmide diz que a pessoa vai dar dinheiro, não vai fazer nada e vai ganhar. Nós não fazemos isso", afirma Rodrigues.

"Com a gente, a pessoa faz um investimento baixo, usa os produtos e participa de uma estrutura para se desenvolver e aumentar o mercado para o produto. Nosso sistema é meritocrático, não de quem chegou primeiro. O lucro não está ligado à quantidade de dinheiro que você coloca, mas a sua energia e a disposição que você tem."

Adriano Wilkson/UOL
Imagem: Adriano Wilkson/UOL

Como funciona a empresa de Ronaldinho

Na palestra à qual a reportagem compareceu, a fisioterapeuta Camila Coelho disse que o marketing multinível lhe deu mais tempo para ficar com a filha e aproveitar a vida, o que ela não tinha quando trabalhava formalmente. O empresário Maicon Douglas disse que abandonou a carreira na multinacional Danone, em Poços de Caldas (MG), porque não via oportunidade de crescimento profissional. No seu Instagram, costuma publicar fotos ao lado de carros e em viagens que ele teria ganhado em outras empresas de marketing multinível.

"Troquei tudo porque acredito no projeto da 18kRonaldinho", afirmou antes de empolgar a plateia ao descrever como foi viajar em um cruzeiro com tudo pago. O marketing multinível é um modelo de negócio no qual o associado tem direito a revender produtos de uma empresa a seus amigos e familiares, além de ser remunerado por indicação de novos vendedores. O modelo não é ilegal, mas em alguns casos é usado como fachada para ilegalidade.

"Saindo da zona de conforto você vai poder desfrutar do que a vida tem de melhor", afirmou Athos Trajano. Depois de um vídeo motivacional, uma citação de Ronaldinho mostra que ele criou a empresa de marketing por "gratidão" e para dar a oportunidade de seus fãs prosperarem.

Em uma reunião com potenciais clientes no ano passado, o mesmo Trajano fez uma promessa ainda mais incisiva: "Daqui a cinco anos formaremos milhares de milionários. Isso não é marketing, é dado, estatística. Mas só serão milionários aqueles que fizerem o que a gente falar pra fazer, que é trabalhar e trabalhar muito."

Divulgação
Imagem: Divulgação

Funciona assim: pagando R$ 999 o associado recebe quatro relógios que podem ser vendidos por até R$ 600 cada. O lucro das vendas é todo dele. Pagando valores menores, o cliente pode vender produtos online, usando o e-commerce da firma e sendo remunerado pela divulgação. A empresa também promete que no futuro será possível vender outros produtos, como óculos e snacks de frutas. Mas os diretores insistem que a grande oportunidade de ascensão consiste em convencer outras pessoas a se associarem ao negócio.

"Meu foco hoje é chamar pessoas", disse um associado com quatro meses de empresa e que conta já ter recuperado o investimento inicial. "Nem faço propaganda do relógio."

"Nenhuma empresa sobrevive no mercado vendendo produto", afirmou Trajano na palestra. "As empresas vendem histórias." Como exemplo, o empreendedor citou o caso de Steve Jobs, da Apple, que "nunca vendeu celular", mas "o desejo de se associar a uma marca." Na 18kRonaldinho, as pessoas teriam interesse em se associar à história do ex-jogador.

Pontos valem prêmios luxuosos

A cada novo membro indicado ou venda feita, o associado ganha pontos, que podem ser trocados por dinheiro e fazem subir na hierarquia da empresa. A venda de um relógio, por exemplo, gera 150 pontos. Já a indicação de um novo membro gera 500 pontos. Para ter direito à viagem a Bora Bora, na Polinésia Francesa, o associado precisa juntar 3 milhões de pontos em três meses.

Ou seja, para ter direito à viagem, um associado teria que vender 20 mil relógios. Ou indicar 6 mil pessoas.

Segundo o CEO Bruno Rodrigues, a empresa tem hoje cerca de 2,3 mil associados espalhados por sete países. Além de Ronaldinho, aparece como fundador dela o empresário Marcelo Lara, que vive em Miami e criou a marca de relógio vendida no negócio.

Divulgação
Imagem: Divulgação

Ainda na fase que os diretores chamam de "pré-marketing", a empresa tem se esforçado para aumentar sua base de clientes e lançou uma campanha que promete levar seus melhores associados à Costa do Sauipe, na Bahia, com acompanhante e tudo pago. Para isso, é preciso indicar 25 pessoas em até 70 dias.

Com cerca de cinco meses de operação, a 18kRonaldinho tem planos ambiciosos de expansão e diz que se tornará "a maior empresa de marketing multinível do mundo". Ronaldinho visitou os associados no final do ano passado por ocasião de uma partida de futsal com o também ex-jogador Denilson.

Um banco e uma corretora de investimentos que usam a imagem do ex-atleta também são citadas como futuras oportunidades de negócios aos associados da empresa.

Segundo Rodrigues, o modelo foi desenhado para que Ronaldinho pudesse retribuir os fãs, que sempre o ajudaram na sua trajetória no futebol. "O que ele tem de mais valioso hoje é o nome. E ele queria uma forma de fazer as pessoas ganharem dinheiro usando o nome dele. Por isso criamos essa empresa", afirma o CEO.

Futebol