PUBLICIDADE
Topo

Santos

Ainda em busca de centroavante, Santos fracassa com Jean Mota como falso 9

Ivan Storti/Santos FC
Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

16/03/2019 04h00

O velho problema da camisa 9 voltou à tona no Santos. Em noite de homenagem ao maior centroavante da história do clube, Coutinho que faleceu no início da semana, o Peixe foi derrotado pelo Novorizontino abusando dos cruzamentos para área e tendo, pelo segundo jogo consecutivo, Jean Mota atuando como falso 9: duas partidas sem balanças as redes.

Ao todo, o Peixe levantou 34 bolas na área e acertou apenas cinco. Após atuar durante todo o primeiro com o artilheiro do Paulistão exercendo a função, o que já não havia dado certo no clássico diante do Corinthians, o técnico Jorge Sampaoli colocou Felippe Cardoso, centroavante de origem, em campo.

No entanto, o atacante não conseguiu honrar a imagem de Coutinho estampada na camisa. Já quase ao final da segunda etapa, recebeu cruzamento na medida e subiu inteiro para a bola, mas cabeceou torto e jogou para fora.

O técnico Jorge Sampaoli, em entrevista coletiva, preferiu amenizar a falta de um centroavante após a derrota, mas não negou a carência do elenco santista.

"Dizer que falta centroavante depois de uma derrota pode parecer uma desculpa. Temos que continuar melhorando e nos prepararmos bem para a próxima fase", disse o argentino.

O Peixe segue em busca de um camisa 9, principal pedido de Sampaoli para o elenco santista. Desde quando assumiu o Santos, o presidente José Carlos Peres não encontrou alguém para vestir a numeração. Inúmeras negociações foram frustradas desde o ano passado. As mais recentes foram com Alexandre Pato, Raniel e Nicolás Blandi.

No atual elenco, além de Felippe Cardoso, o treinador argentino conta apenas com dois jovens de 17 anos: Kaio Jorge e Yuri Alberto. Kaio teve pouquíssimas chances no time profissional, enquanto Yuri Alberto, na mira do Ajax e da Inter de Milão, ainda não convenceu.

Santos