PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Gol decisivo e experiência recolocam Sobis na disputa por vaga no Inter

Rafael Sobis comemora gol da vitória do Inter sobre o Palestino, no Chile - Ricardo Duarte/Inter
Rafael Sobis comemora gol da vitória do Inter sobre o Palestino, no Chile Imagem: Ricardo Duarte/Inter

Do UOL, em Porto Alegre

07/03/2019 04h00

Um jogo complicado que se encaminhava para o 0 a 0 marcaria a estreia do Inter pela Libertadores. Não fosse por Rafael Sobis. Vindo do banco, o atacante de 33 anos foi inteligente e contou com falha do goleiro para, de falta, garantir a vitória gaúcha. E a experiência aliada ao faro de gol o recolocam na disputa por vaga no ataque titular. 

Sobis pouco foi testado. Desde a chegada, no início do ano, atuou no ataque apenas uma vez desde o início, e ainda acompanhado por uma equipe totalmente reserva. Desabastecido, não foi bem. 

Nas demais oportunidades sempre entrando no decorrer dos jogos, em condições em que dificilmente conseguiria algo mais efetivo. Batalhou muito, até que começa a reconquistar espaço. 

Ao todo foram seis jogos, apenas um como titular. E o primeiro gol na cobrança de falta nos minutos finais do duelo com Palestino. 

Mas a chance de ganhar sequência não se deve apenas à experiência ou ao poder de decisão sob pressão. A oscilação dos atacantes do Inter também abre espaço para novas apostas. 

Depois de "arquivar" Tréllez, o Colorado apostou tudo em Pedro Lucas. O jovem de 20 anos, porém, não conseguiu marcar nos últimos jogos e soma apenas um gol nos mesmos seis jogos que Sobis. A diferença está no número de minutos em campo, quase o dobro do mais experiente. 

"O Sobis está calejado, é experiente, sabe se comportar neste tipo de jogo, de competição", disse o técnico Odair Hellmann após a partida. 

"Tenho que ressaltar nossa preparação. Vamos crescer muito. Sabíamos da importância do primeiro jogo, de voltar com os três pontos. É muito bom voltar a se sentir importante", completou Sobis. 

O Inter joga no domingo contra o Aimoré pelo Campeonato Gaúcho. A tendência de alteração de time em razão do acúmulo de jogos pode significar mais um teste para o ídolo da torcida, bicampeão da Libertadores pelo Colorado. 

"Aqui o mais importante sempre foi o grupo. Eu valorizo muito as opções no plantel. Às vezes inicia um ou outro, mas todos respeitam o companheiro, têm uma competitividade muito grande entre eles, de forma sadia. E quando surge a oportunidade, quem entra dá resultado", completou Odair. 
 

Internacional