PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

Ex-São Paulo, artilheiro do Red Bull quer ver pressão da torcida no Morumbi

Ytalo comemora gol do Red Bull neste Campeonato Paulista - Marcello Zambrana/AGIF
Ytalo comemora gol do Red Bull neste Campeonato Paulista Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

24/02/2019 04h00

Mesmo em casa, o São Paulo pode enfrentar a pressão da torcida durante a partida contra o Red Bull, a partir das 17h de hoje, no Morumbi, pelo Campeonato Paulista. Com a experiência de quem defendeu o Tricolor paulista em 2016, o atacante Ytalo sabe que o público perde a paciência mais facilmente em momentos de crise, como o time de Vagner Mancini encara agora após a eliminação na Copa Libertadores.

"Será preciso ter a experiência de tocar a bola. O São Paulo está em um momento delicado, então precisamos tomar ainda mais cuidado e não levarmos gols no começo. A torcida vai apoiá-los e temos que tentar trazer o público para o nosso lado. Se eles não fizerem o gol logo, a torcida começa a pressionar, e isso pode favorecer o nosso lado", disse o jogador em entrevista ao UOL Esporte.

Aos 31 anos, Ytalo vive uma fase positiva no Red Bull. Mesmo sem jogar como um centroavante fixo, o atacante é o artilheiro da equipe com três gols neste Campeonato Paulista.

"É um início de ano positivo. Não tinha feito pré-temporada completa nos últimos anos por causa de lesões. Dessa vez foi tudo certo. Espero continuar com essa batida. Nosso time é experiente, com vários jogadores que passaram por clubes da Série A do Brasileiro", disse o atacante, que tem vínculo com o Red Bull até o fim do estadual.

Confira os principais trechos da entrevista com Ytalo:

Pressão tricolor

"Como o São Paulo não conquistou títulos nos últimos anos e passou por momentos não muito bons, uma dificuldade é criada para o jogador. Você não consegue fazer o seu jogo da melhor maneira possível. Espero que a gente possa trazer essa situação para o nosso favor". 

Só elogios ao São Paulo

"Cheguei já jogando. Tive oportunidades, mas nunca desde o início na função de centroavante porque o Calleri estava bem. Não tenho mágoa nenhuma, até porque foi opção minha voltar [ao Audax] antes do tempo. Só tenho a agradecer. Eu não pude dar o meu melhor. Em alguns jogos entrei no segundo tempo como centroavante, em outros joguei como meia, e também atuei mais aberto no ataque. Foi positiva a passagem pelo São Paulo, tive momentos bons".

Posicionamento no Red Bull

"Gosto mais de jogar como centroavante. Agora no Red Bull, estamos jogando com dois atacantes e eu busco mais a bola, quase como um meia. Marquei gols e está correndo tudo dentro do previsto".

Contato com tricolores

"Da época em que joguei, só o Hudson ainda está no São Paulo. Às vezes falo com alguns jogadores daquele elenco, como o João Schmidt, o Lucas Fernandes, o Breno e o Wellington. O tempo que passei por lá foi muito bom".

Torcida

"Espero que o São Paulo saia dessa situação, até pelos funcionários do clube. Só espero que não seja nesse jogo (risos)".

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO x RED BULL BRASIL

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 24 de fevereiro de 2019 (domingo)
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira
Assistentes: Anderson José de Moraes e Vitor Carmona Metestaine

SÃO PAULO: Tiago Volpi, Igor Vinicius, Arboleda, Bruno Alves e Reinaldo; Jucilei, Luan e Nenê; Antony, Pablo e Carneiro.
Técnico: Vagner Mancini (interino).

RED BULL BRASIL: Julio Cesar; Aderlan, Léo Ortiz, Ligger e Rafael Carioca; Uillian Correia, Jobson e Gabriel Leite; Ytalo, Osman e Roberson.
Técnico: Antônio Carlos Zago.

São Paulo