PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

Goleiro do Cruzeiro retoma estudos e segue passos do pai na engenharia

Goleiro falou sobre interesse pelo engenharia e do desejo de inspirar crianças com os estudos - Marcello Zambrana/Light Press/Cruzeiro
Goleiro falou sobre interesse pelo engenharia e do desejo de inspirar crianças com os estudos Imagem: Marcello Zambrana/Light Press/Cruzeiro

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

21/02/2019 04h00

O goleiro Rafael, do Cruzeiro, alcançou uma vitória em sua carreira fora dos gramados. O jogador de 29 anos entrou para a lista de atletas que também se destacam dentro da sala de aula, e vai começar uma faculdade. Mas, diferente da maioria de outros graduados da bola, o arqueiro deixou de lado opções mais comuns entre os jogadores, como Educação Física ou Administração, e vai mergulhar de cabeça na Engenharia Civil.

O gosto pela área surgiu ainda na infância e começou dentro de casa, acompanhando os trabalhos do pai, da mãe e hoje também do  irmão.Rafael é natural de Coronel Fabriciano, cidade a pouco mais de 200 km de Belo Horizonte. Em 2002, aos 13 anos, chegou ao Cruzeiro precisando conciliar o futuro promissor no futebol com as boas notas na escola. Naquela época, a educação já era tratada como prioridade pelos pais. Por isso, ficou o combinado: se o goleiro não fosse bem nos estudos, ele teria que voltar para sua cidade, independente do seu rendimento dentro de campo. Rafael não só se formou no ensino médio, como também se profissionalizou como goleiro e hoje é o herdeiro de Fábio abaixo das traves celestes.

Mas, apesar de já estar com sua carreira encaminhada, ele quer mais. Depois de tentar Educação Física e Administração, mas interromper por causa da agenda apertada de compromissos com o Cruzeiro, o goleiro vai começar a seguir os passos da família e correr atrás do diploma de engenheiro.

Goleiro Rafael - Cruzeiro/Divulgação - Cruzeiro/Divulgação
Imagem: Cruzeiro/Divulgação

"A engenharia civil é um curso que sempre quis fazer, mas eu nunca encontrava nenhum à distância. Meu pai e meu irmão são engenheiros civis, minha mãe é engenheira eletricista. Sempre tive a matemática presente dentro de casa, cresci vendo meus pais trabalhando com obras, mexendo com isso. Foi algo que sempre me fascinou. Quero aprender, estudar algo que me interessa e que tenho vontade. A carreira de jogador é curta, com 40 anos um goleiro já está aposentando, e ainda tem uma vida muito longa pela frente. Mas eu também não penso só no futuro após o futebol, mas no sentido de estudar mesmo, aprender e continuar exercitando a mente, acho que é algo muito importante para nós", comentou o goleiro, em entrevista ao UOL Esporte.

Rafael irá estudar engenharia civil à distância pela Faculdade Unincor, uma das patrocinadoras do Cruzeiro e que leva sua marca na parte de trás do uniforme. Além do goleiro, o zagueiro Léo é outro que também prestou vestibular. O defensor já revelou sua admiração por jogadores da seleção belga, e pretende retomar o curso de administração.

"O Tostão fez medicina, tivemos outros jogadores que continuaram suas carreiras após o futebol e desempenharam suas funções na área da gerência, educação física ou outras fora do esporte. Tenho muitos exemplos bons para seguir e também espero virar um exemplo para que as pessoas e as crianças possam olhar com bons olhos e entender a importância do estudo na nossa sociedade", concluiu.

Cruzeiro