PUBLICIDADE
Topo

Carioca - 2019

Vasco assume risco de multa, e final com Flu terá presença de público

Final da Taça Guanabara entre Vasco e Fluminense terá a presença da torcida após polêmica - Paulo Fernandes / Flickr do Vasco
Final da Taça Guanabara entre Vasco e Fluminense terá a presença da torcida após polêmica Imagem: Paulo Fernandes / Flickr do Vasco

Do UOL, no Rio de Janeiro

17/02/2019 14h54

A final da Taça Guanabara entre Vasco e Fluminense terá a presença de público. Após reunião na Ferj (Federação de Futebol do Rio de Janeiro), o Cruzmaltino assumiu o risco de pagar uma multa de R$ 500 mil e bancou a realização do duelo com as torcidas presentes. O anúncio foi feito pela entidade que regula o futebol carioca.

A decisão ocorre duas horas antes da realização da partida, que até há pouco seria realizada com os portões fechados. Isso porque o Fluminense não aceitou ficar sem o setor sul e acionou a Justiça para fazer valer o contrato que tinha em mãos.

A Justiça decidiu, então, fechar os portões com receio de que a briga nos bastidores pudesse inflamar ainda mais os ânimos dos torcedores. Com a possibilidade de novas tragédias, houve a opção pela ausência de público.

Nesta tarde, porém, uma reunião entre as partes fez com que houvesse nova reviravolta. O Vasco assumiu a responsabilidade pelo evento, como mandante, e poderá levar multa por desrespeitar uma ordem judicial.

Antes do jogo, Flu pediu para torcida não ir ao jogo

Anrtes da decisão do Vasco de mater o jogo com portões abertos, o Fluminense havia feito um pedido ao seu torcedor: que não comparecesse ao estádio para apoiar o time do lado de fora. 

"O Fluminense solicita aos seus torcedores que não compareçam ao estádio do Maracanã nesse domingo, em cumprimento à decisão judicial que determinou o fechamento dos portões na final da Taça Guanabara 2019", escreveu o clube em seu site oficial.  O Fluminense ainda afirma que "sempre se norteou pela segurança do torcedor e pelo exercício regular dos seus direitos, reconhecidos pelo Judiciário".

O clube não se manifestou após a decisão do Vasco de manter a presença da torcida na final da Taça Guanabara. 

Entenda o caso

Em 1950, o Vasco foi campeão carioca e ganhou o direito de escolher o lado que sua torcida ficaria no Maracanã. A medida foi respeitada até 2013, quando o estádio passou por reformas e assinou novos contratos com os clubes. 

Como Vasco e Botafogo jogam em São Januário e Nilton Santos, respectivamente, o consórcio, então, assinou com Flamengo e Fluminense. O Rubro-negro se manteve no setor norte, enquanto o Tricolor ganhou a possibilidade de oficializar o setor sul - trocava de lado toda vez que enfrentava o Cruzmaltino.

Desde então, mesmo sob o comando de Eurico Miranda, o Vasco acatou a nova decisão e passou a ocupar o setor norte em jogos contra o Fluminense. 

O problema é que o consórcio está sob nova direção e o novo presidente, Mauro Darzé, não demonstrou muito interesse em reforçar a parceria com o Fluminense e tomou partido do Vasco desta vez.