Mais informação com menos tempo de leitura
Topo

Coluna

Oscar Roberto Godói


Boa arbitragem no Paulista e falhas do VAR marcam finais estaduais

Raphael Claus demonstrou segurança e fez boa arbitragem na final do Paulista - Gabriel Machado/AGIF
Raphael Claus demonstrou segurança e fez boa arbitragem na final do Paulista Imagem: Gabriel Machado/AGIF
Oscar Roberto Godói

Jornalista e ex-árbitro, esteve sob a chancela da Fifa de 1993 a 2000.

22/04/2019 13h00

Decepção para alguns e muita alegria para outros. Assim foi o final de semana com as diversas decisões de campeonatos estaduais pelo Brasil afora. O Paulistão foi conquistado pelo Corinthians com a vitória por 2 a 1 contra o São Paulo e, para espanto ou felicidade, a arbitragem de Raphael Claus foi muito boa junto com seus auxiliares e assistentes.

Pelo semblante, mostrado nas imagens, percebia-se nitidamente que Claus estava tranquilo e seguro. Acompanhou as jogadas de perto e mostrou, desde o começo, que não seria ludibriado pelas simulações dos jogadores.

Acabou sendo feliz até quando optou em advertir Reinaldo e Gustavo com o amarelo quando se desentenderam e se ofenderam mutuamente. Senti vontade de expulsar os dois e, assim inibir os demais "esquentadinhos". Gustavo se acalmou, mas Reinaldo continuou querendo ser justiceiro. Tudo contra ele era motivo para brigar com alguém.

Em Santa Catarina, o VAR não esclareceu se a bola chutada por Bruno Pacheco na decisão por pênaltis bateu totalmente dentro do gol ou não. O árbitro Bráulio Machado optou em não confirmar o gol e o Avaí foi campeão para desespero do presidente da Chapecoense, que está detonando a arbitragem. Pela imagem da televisão, a bola entrou.

O campeonato mineiro conquistado pelo Cruzeiro está sendo muito contestado por dirigentes do Atlético-MG. Também entendo como esdrúxula a marcação do pênalti que, cobrado por Fred, empatou o jogo e deu o título de campeão para o Cruzeiro.

Uma Federação, como a Mineira, que não tem um árbitro próprio para apitar os clássicos locais e precisa importar da Paulista Leandro Bizio Marinho, um árbitro dos mais comuns, fraco técnica e disciplinarmente, merece as maiores e piores críticas possíveis. Porém a culpa é da FMF ou dos próprios dirigentes dos clubes?

O Flamengo repetiu o placar de 2 a 0 contra o Vasco e conquistou o título de campeão no Rio de Janeiro. O primeiro gol marcado de cabeça por William Arão nasce de um impedimento não marcado de Gabigol. Ele sofre a falta e, na cobrança, o Fla faz 1 a 0. Onde estava o VAR?

Parabéns aos campeões e aos perdedores que dignificaram as premiações. Elogios para as arbitragens que foram competentes durante e, principalmente, nas decisões estaduais.

Mais Oscar Roberto Godói