PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

Pato é elogiado por Mancini, mas São Paulo segue com cautela

Na mira de São Paulo e Santos, Alexandre Pato tenta liberação do Tianjin Tianhai, da China - STR / AFP
Na mira de São Paulo e Santos, Alexandre Pato tenta liberação do Tianjin Tianhai, da China Imagem: STR / AFP

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo

15/02/2019 13h10

O São Paulo segue de olho no destino de Alexandre Pato, mas sempre com os pés no chão. Agora, além de esperar uma liberação gratuita do atacante do Tianjin Tianhai, será preciso debater a contratação com o novo técnico da equipe. Cuca, embora ainda não possa treinar o time, já ajudará a discutir o planejamento para o resto do ano.

Para analisar melhor o mercado e o elenco do Tricolor, o treinador terá o coordenador técnico Vagner Mancini como aliado. Os dois já mantêm contato e possíveis contratações serão debatidas. Eles não consideram o elenco fechado.

"Contratação de jogadores é com a direção. Eu vejo um elenco muito bom, montado. Nós temos essa diversidade de atletas e potenciais. De repente surge alguém no mercado que é interessante, logicamente todo técnico quer. Nenhum técnico está satisfeito com o que quer, porque também tem perda de jogadores. Por isso o cara está sempre pensando lá na frente. Com o elenco que nós temos, temos que melhorar", disse.

LEIA MAIS:
- Cuca não precisa de remédios, mas tenta fugir do estresse para voltar 100%
- Técnico pode enfrentar "seca" na busca por mais reforços para o São Paulo
- Médico conversa com Cuca após procura do Tricolor e veta liberação imediata

Mancini não quer dar detalhes sobre quem está no radar do São Paulo e como o clube tem agido no mercado - o orçamento não permite altos investimentos. Mas não deixou de elogiar o talento de Alexandre Pato, que sempre apontou o Tricolor como um destino possível para um eventual retorno ao Brasil. 

"Indiscutível. O Pato é um jogador de alto nível. É indiscutível. Falar mais alguma coisa sobre isso eu estaria entrando em uma parte que não é minha", disse.

Pato tenta deixar o Tianjin de graça devido a descumprimento de contrato do time chinês. Essa é vista como a única forma de contratação pelo São Paulo, que não teria condições de bancar uma compra direta.

São Paulo