PUBLICIDADE
Topo

Futebol


De "bronca" de Grafite a 10 anos de Alemanha, ex-SPFC quer voltar ao Brasil

Após uma década na Alemanha, Caiuby quer voltar ao Brasil - Jan Kruger/Getty Images
Após uma década na Alemanha, Caiuby quer voltar ao Brasil Imagem: Jan Kruger/Getty Images

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

26/01/2019 04h00

São dez anos de Alemanha. Uma década em uma das ligas mais organizadas do mundo e enfrentando os principais atletas do país tetracampeão mundial. As vantagens, entretanto, são colocadas em segundo plano quando pesa o desejo de voltar para casa. Jogador com passagem pelo São Paulo, o atacante Caiuby, 30 anos, quer retornar ao futebol brasileiro depois de longa experiência na Bundesliga.

"Estou aqui há uma década. Eu saí muito jovem do Brasil, né? A hora de voltar está próxima. Quero ficar mais perto da família, disputar um Campeonato Brasileiro, uma Libertadores", confessou o jogador, que, inclusive, diz ter recebido sondagens para voltar ao Brasil.

"Existem sondagens, sim. Eu tenho contrato com o clube aqui, mas tenho pessoas trabalhando por trás dessa situação. Ficar [na Alemanha] não é a opção que mais me agrada agora e por isso nos chamou a atenção esta oportunidade de retornar para o futebol brasileiro", acrescentou Caiuby, determinado a terminar a passagem pela Alemanha.

Durante os dez anos no futebol germânico, Caiuby atuou por Wolfsburg, Duisburg, Ingolstad e Augsburg, time que defende desde 2014. Na chegada a um novo país, ainda mais sem qualquer grande fama no Brasil, o atacante contou com a ajuda do hoje comentarista do SporTV Grafite.

Histórico jogador do Wolfsburg, o atacante que disputou a Copa do Mundo de 2010 com a seleção brasileira serviu como um tutor dentro e fora do gramado. Uma das broncas, inclusive, salvou Caiuby de encarar um mal-estar logo no início de trajetória com o elenco que desbancaria o Bayern de Munique e se tornaria campeão alemão em 2009.

"Cara, tínhamos dois treinos no dia e sempre acontecia de almoçar junto com o Grafite no prédio da Volkswagen. Eu só não sabia que logo no começo, não tinha visto o planejamento, o time almoçava junto. Foi todo mundo almoçar e fui para o shopping. Todo mundo lá reunido, me esperando e o Grafite me liga: 'onde você está? Está todo o time aqui te esperando e você fazendo compra? [risos]", diverte-se Caiuby.

A Alemanha agora quer ser vista como uma lembrança pelo jogador. Longe do Brasil, o próprio atleta cita como pode auxiliar possíveis interessados no Brasil. Nesta metade de temporada, Caiuby tem dois gols em 16 jogos com o Augsburg, que briga contra o rebaixamento no Campeonato Alemão.

"Acho que posso ajudar muito com a minha bagagem que tive aqui na Alemanha. Desenvolvi muito a parte tática e física, além da ideia de jogo coletivo. Posso jogar aberto pela esquerda e por dentro também, ou até dentro da área. São características que a Europa ajudou a me desenvolver", assegura o atacante de 30 anos, agora pronto para retornar ao país em busca de reconhecimento.

Futebol