PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Sem cargo oficial, ex-presidente Vilson Andrade aumenta atuação no Coritiba

Andrade (D), ao lado de Rogério Bacellar, que o venceu com apoio de Namur em 2014 - Divulgação
Andrade (D), ao lado de Rogério Bacellar, que o venceu com apoio de Namur em 2014 Imagem: Divulgação

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

17/12/2018 04h00

Ex-presidente do Coritiba entre 2010 e 2014, com dois vice-campeonatos da Copa do Brasil e um tetracampeonato paranaense, Vilson Ribeiro de Andrade voltou a participar da vida do Coritiba, mesmo sem cargo e de maneira informal. O dirigente se reaproximou do atual presidente Samir Namur na crise que poderia ter levado o atual mandatário ao impeachment em novembro. De lá para cá, tem ajudado com conselhos, ideias de gestão e indicações.

Ele foi convidado a ocupar um cargo executivo no clube, mas recusou. Ainda assim, tem dedicado tempo ao clube. "Houve o convite, mas posso ajudar sem exercer cargos", comentou com a reportagem. "Minha ideia é contribuir na estruturação do planejamento e ajudar na organização de empresários coxas para acharmos alternativas para a instituição. É hora da família coxa se unir. Mas não participarei do dia a dia do clube".

Vilson, que foi chefe de delegação da CBF na Copa de 2014, tem procurado abrir portas para Namur, de apenas 35 anos e que enfrentou muita resistência no primeiro ano de gestão, seja do mercado do futebol, seja da própria torcida coxa-branca, descontente com os resultados. O Coxa foi apenas o 10º colocado na Série B, não conquistando o acesso para a elite 2019.

O ex-presidente fez um discurso ao Conselho defendendo a manutenção de Namur quando da votação pelo impeachment deste. Na oratória, falou em estabilidade institucional e união, mesmo com os maus resultados. Anteriormente, Vilson Andrade chegou a criticar Namur publicamente, quando disse que o atual presidente deveria "parar de chorar as dívidas do clube", em entrevista à Radio Transamérica. Namur e Andrade estiveram em lados opostos nas últimas três eleições do clube. "Apesar dos erros a instituição Coritiba necessita urgente de apoio e união", pediu o cartola.
 

Futebol