PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Presidente do Galo quer tirar Rodrigo Caetano do Inter, mas sofre ressalvas

Rodrigo Caetano se tornou dirigente do Internacional nesta temporada, mas pode se mudar para o Galo - Marinho Saldanha/UOL
Rodrigo Caetano se tornou dirigente do Internacional nesta temporada, mas pode se mudar para o Galo Imagem: Marinho Saldanha/UOL

Jeremias Wernek, Marinho Saldanha e Thiago Fernandes

Do UOL, em Porto Alegre e Belo Horizonte

26/11/2018 04h00

O presidente do Atlético-MG, Sérgio Sette Câmara, está disposto a tirar o diretor executivo de futebol Rodrigo Caetano do Internacional. O mandatário já fez contato com o dirigente gaúcho e mira começar, com ele, a montagem do elenco para 2019. No entanto, não tem unanimidade entre seus pares de direção.

Rodrigo Caetano é visto como um bom nome pelo presidente Sérgio Sette Câmara. O cartola é fã do trabalho feito pelo executivo do Internacional e crê que ele tem qualidade o suficiente para conduzir o futebol na Cidade do Galo.

O bom relacionamento de Rodrigo no mercado da bola e a capacidade de gestão de elenco são as duas qualidades admiradas pelo mandatário atleticano. Sette Câmara pretende dar autonomia para aquele que assumir a direção do futebol no clube.

Embora o chefe máximo do Galo seja favorável à contratação de Rodrigo Caetano, há resistência nos bastidores. Parte da cúpula crê que o ideal é a manutenção de Marques, promovido de forma interina ao cargo após a demissão de Alexandre Gallo, no fim de outubro.

A forma de lidar com o elenco credencia o ex-jogador do clube a permanecer no cargo em 2019. No entanto, há a possibilidade de Marques desempenhar uma função nova na Cidade do Galo. Ele poderia atuar como gerente de futebol e se tornar responsável pelo cotidiano ao lado dos atletas.

No Internacional, o interesse do Galo na contratação de Caetano surpreende. É Rodrigo que está gerindo junto ao comando político do futebol, composto por Roberto Melo, Adauri Silveira e o presidente Marcelo Medeiros, a montagem do grupo para a temporada 2019.

Na entrevista coletiva que sucedeu a vitória por 2 a 0 sobre o Fluminense, domingo, tanto o vice quanto o técnico Odair Hellmann elogiaram bastante Caetano, citado nos bastidores como um dos responsáveis pela arrancada do Inter no Brasileirão.

Conforme apurou o UOL Esporte, a proposta atleticana é muito vantajosa financeiramente e dá a Rodrigo autonomia maior do que há em Porto Alegre. Em Belo Horizonte ele precisará lidar com quadro diretivo menor e poderá agir até mais rapidamente.

Contrasta com a possibilidade de saída, também, a recente chegada de Marcos Biasotto. O gerente de futebol foi contratado por indicação de Caetano para fazer a ligação entre o processo de formação e o grupo principal.

Com contrato até o fim de 2019 em Porto Alegre, a saída do diretor executivo teria que, também, demandar uma negociação com pagamento de multa ao Colorado.

Futebol