PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Saída de Lucca abre espaço para ex-Flu que ainda não brilhou no Inter

Wellington Silva não conseguiu se firmar como titular, mas ganhará espaço - Ricardo Duarte/Inter
Wellington Silva não conseguiu se firmar como titular, mas ganhará espaço Imagem: Ricardo Duarte/Inter

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

20/09/2018 04h00

A saída de Lucca do elenco do Inter mostra confiança em um jogador que ainda não conseguiu comprovar seu valor. Wellington Silva, emprestado pelo Fluminense, dá um passo à frente com a ida do ex-corintiano para o Al-Rayyan, do Qatar, e terá menos de três meses para fazer valer a passagem por Porto Alegre.

Com vínculo até 31 de dezembro deste ano, Wellington não conseguiu sequência de jogos até então. Chegou se recuperando de um problema no púbis e teve em seguida uma lesão muscular. Oscilou entre idas e vindas do departamento médico para o time reserva.

Até foi testado como titular durante o recesso para Copa do Mundo, mas não rendeu o esperado e voltou a ser suplente. Entrou e fez sua melhor partida pelo Colorado contra o Atlético-PR, em julho, quando marcou um gol. Mas voltou a se lesionar e desde então não entrou mais em campo.

A sina de baixo aproveitamento o acompanha no time vermelho. O atacante de 25 anos soma apenas nove partidas no ano. São seis pelo Gauchão, uma na Copa do Brasil e duas no Brasileiro. Míseros 203 minutos em campo.

Contratado para ocupar o lado esquerdo do meio, ele perdeu espaço aos poucos e estava escanteado - principalmente depois das chegadas de Lucca e Rossi, que alternavam com Pottker e Nico López no time. D'Alessandro também ocupava o espaço quando necessário, e Camilo passou a ser utilizado por ali também. Wellington ainda viu crescer jovens como Richard e Juan Alano.

Mas a saída de um dos concorrentes significa um passo adiante na hierarquia. Na última segunda-feira, Wellington já ficou no banco de reservas diante da Chapecoense. O técnico Odair Hellmann preferiu Camilo e D'Alessandro a ele quando optou por usar o banco, mas estar entre os disponíveis já pode ser considerado uma vitória.

Caso não consiga mudar o cenário em três meses, ele dificilmente permanecerá no Inter, seja por meio de renovação de empréstimo ou compra dos direitos, que seguem pertencendo ao Fluminense. Até porque a posição tende a ganhar novos concorrentes com as promoções de José Aldo e Sarrafiore, ambos do time B.

Futebol