PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Atletas do Fluminense fazem reunião para cobrar salários em todo o clube

Em reunião, grupo pediu que situação seja resolvida rapidamente - AP Photo/Matilde Campodonico
Em reunião, grupo pediu que situação seja resolvida rapidamente Imagem: AP Photo/Matilde Campodonico

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

19/09/2018 04h00

Sem nenhuma promessa de quitação dos atrasados por parte do presidente Pedro Abad, os jogadores do Fluminense se reuniram com o dirigente para ter um panorama da situação financeira.

Só que deixaram o centro de treinamento do mesmo jeito que entraram: sem promessa de receber. Durante o encontro, realizado na segunda-feira, o elenco tricolor apelou para que os dirigentes resolvam o quanto antes a situação, especialmente a dos funcionários da retaguarda, que ganham menos e estão a ver navios.

Os colaboradores têm dois meses de atraso, enquanto os atletas já somam dois de CLT e três de imagem. A situação também aflige o pessoal que trabalha nas Laranjeiras. No dia 7 de setembro, o UOL Esporte noticiou que as dívidas motivaram uma espécie de rodízio entre os funcionários da sede social. E o problema segue.

Durante a reunião, o tom foi de extrema cobrança ao dirigente, que esteve acompanhado do diretor executivo Paulo Angioni. O mandatário ouviu as queixas dos jogadores, que tiveram nos zagueiros Gum e Digão os mais ativos porta-vozes.

Durante entrevista coletiva que tratou da cirurgia do atacante Pedro, Angioni não fugiu quando questionado sobre os sucessivos problemas econômicos do clube: “Estamos tentando resolver, fico à vontade de falar que isso não é surpresa. Quando vim para o clube, eu sabia das dificuldades. Vamos resolver em um curto espaço de tempo”.

Os bolsos estão vazios, mas a agenda está lotada. Nesta quinta, o Flu encara o Deportivo Cuenca, às 19h30, pela Sul-Americana. Após o compromisso no Equador, os tricolores vão para Chapecó, local da partida ante a Chapecoense, segunda-feira. Às 20h.

Futebol