PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Seis torcedores do PSV são presos por distúrbios em Madri

Time do técnico Diego Simeone garantiu vaga nas quartas da Liga - Gerard Julien/AFP Photo
Time do técnico Diego Simeone garantiu vaga nas quartas da Liga Imagem: Gerard Julien/AFP Photo

Do UOL, em São Paulo

16/03/2016 13h36

A Polícia de Madrid deteve seis torcedores do PSV Eindhoven após a partida disputada contra o Atlético, pela Liga dos Campeões. Os envolvidos causaram desordem pública, danos a veículos e chegaram a até agredir cidadãos na Porta do Sol, um dos pontos turísticos mais conhecidos da cidade, segundo o jornal Marca.

As prisões foram feitas à noite, quando um grupo de torcedores da equipe holandesa saiu dos bares do centro da capital espanhola hostilizando pessoas na rua e destruindo carros por onde passaram.

Foi pedida a intervenção de uma autoridade que investiga crimes de ódio no país por causa de humilhações racistas contra mendigos cometidas por um grupo de torcedores antes da partida que garantiu a vaga do Atlético de Madri nas quartas da Liga dos Campeões.

Ontem, antes da partida, o jornal espanhol AS havia divulgado imagens de torcedores do PSV em uma praça atirando moedas para mendigos, filmando a ação e rindo quando os moradores de rua corriam para pegar o dinheiro do chão. Nas imagens, os holandeses jogavam as moedas de forma sincronizada, gritando no momento do arremesso, enquanto pessoas procuram os objetos no chão da praça e pegam o que encontram.

O diretor do PSV Eindhoven, Toon Gerbrands, disse que o clube estava desvinculado "totalmente" dos incidentes "desagradáveis" protagonizados em Madri por torcedores holandeses.

Em breve comunicado disponibilizado no site oficial do clube, Gerbrands ressaltou que a atitude destes torcedores "não corresponde aos valores" promovidos pelo PSV.

O dirigente declarou que o clube "fará todo o possível" para identificar os envolvidos, que "terão um problema grande" quando forem encontrados.

"O PSV tomará as medidas adequadas, entre as quais podem figurar a proibição de acesso ao estádio - e sanções mais severas. Quero deixar registrado que não queremos ter nada a ver com estas pessoas. Não pertencem ao nosso clube como casa", comentou.

Com informações da EFE

Futebol