PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Dos EUA até a Finlândia... Como esses países ajudam na base do Fluminense

Mailson Santana/Fluminense F.C.
Imagem: Mailson Santana/Fluminense F.C.

Bernardo Gentile

Do UOL, no Rio de Janeiro

29/01/2016 06h00

O Fluminense conta com uma estrutura formada especificamente criada para revelar jogadores. Tudo é pensado nos mínimos detalhes e tem um objetivo. Nesse sentido existe o projeto internacional, onde o clube criou uma rede de parceria com clubes europeus cujo objetivo é contribuir com a formação de atletas.

Esse conjunto de ações é chamado de “Plano de Carreira” no Fluminense. Até o momento, cerca de 60 jogadores já participaram do projeto, que incluiu período de empréstimo em um dos clubes parceiros. Entre eles, estão FC Lathi-FIN, Legia Varsóvia-POL, Slovan Liberec-CZE, Kansas City-EUA, Espanyol-ESP e União Leiria-POR.

Inicialmente, a parceria tem como objetivo tornar o jogador mais rodado com jogos nos profissionais. Entretanto, a experiência de viver no exterior pode mudar a vida de um atleta. Foi o que aconteceu, por exemplo, com Ygor Nogueira, emprestado ao Gent-BEL. Ele voltou ao Fluminense em seguida e seguiu na base até chegar aos profissionais.

“O projeto internacional é importantíssimo.  Acreditamos que um cidadão melhor é um atleta melhor. Oferecemos curso de inglês que é algo muito legal para a profissão, mas também para a vida. Um exemplo claro disso ocorreu com o Nogueira. Quando voltou ao Fluminense, fomos jogar torneio no EUA e fomos campeões. Antes de levantar a taça entregaram o microfone pra ele, que discursou em inglês para o público. Chorei muito nesse dia, pois percebi a diferença de quando ele chegou. A evolução que teve com pessoa”, disse o gerente da base do Flu, Marcelo Teixeira.

Outra função da parceria, essa ainda mais nobre, é dar sequência à carreira de atletas que ficam sem espaço no elenco profissional após atingir a idade limite das categorias de base. “Não nos preocupamos apenas com os que ficam.  Queremos o sucesso também dos que não terão oportunidade de seguir no clube”, afirmou o dirigente.

O atacante Pablo Dyego e o meia Bryan Olivera, que estavam no Djurgårdens-SUE e no Los Angeles Galaxy-EUA, respectivamente, foram dois dos jogadores de destaque a participar deste projeto. De volta ao Fluminense, eles treinam nas Laranjeiras esperando uma brecha no elenco ou nova oferta.

Futebol