PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Intenção do Cruzeiro era arrecadar R$7 mi a mais por patrocínio da Caixa

Gilvan citou momento econômico, mas lamentou patrocínio abaixo do esperado - Washington Alves/Light Press/Cruzeiro
Gilvan citou momento econômico, mas lamentou patrocínio abaixo do esperado Imagem: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

19/01/2016 11h18

Poderia ser maior, mas melhor isso do que nada. Foi basicamente essa a opinião do presidente do Cruzeiro, Gilvan de Pinha Tavares, sobre os valores fechados com a Caixa Econômica Federal, nova patrocinadora do clube para a temporada de 2016. Nesta terça-feira, o Diário Oficial da União divulgou os valores que a estatal irá pagar aos clubes. No último domingo, ainda antes da divulgação, Gilvan falou sobre o assunto e admitiu que o montante arrecadado pelo clube está bem abaixo do esperado.

De acordo com a divulgação, a dupla Cruzeiro e Atlético-MG receberá R$12,5 milhões por ano da Caixa. O valor não deixou o presidente Gilvan satisfeito com os valores oferecidos. O mandatário citou o atual momento econômico como explicação, no entanto, alegou que a intenção celeste era de arrecadar pelo menos R$20 milhões, o que não aconteceu.

“O problema é que isso (valor pago) não depende da gente. O que foi alegado por eles (Caixa) é que os contratos de lá já existiam e estão apenas honrando os já firmados. Como o país todo, inclusive o nosso Estado agora, está atravessando uma fase difícil, eles alegaram que não podem pagar mais agora. A princípio, os valores seriam R$20 milhões. Depois foi feito uma oferta de valores menores, mas de qualquer forma é muito melhor do que ficar sem o patrocinador oficial e sem receber um valor dessa ordem, que é quase igual ao que a gente recebia do antigo patrocinador. Então nós preferimos, neste momento que eles alegam que é de crise geral, receber esse valor do que deixar de receber. Vamos continuar argumentando que pela grandeza do Cruzeiro, merecemos muito mais do que está sendo pago”, disse o presidente.

Diferente do que havia falado no início do mês, o valor a ser pago pela Caixa será de R$1 milhão a menos do anunciado. Recentemente, Gilvan concedeu uma entrevista e adiantou que os dois maiores times mineiros já haviam fechado com o novo patrocinador por R$13,5mi e não R$12,5 conforme divulgado nesta terça.

No rival Atlético-MG, a marca da MRV, antiga patrocinadora máster, será realocada na camisa. No ano passado, a construtora fechou um acordo com o clube de R$23 milhões para duas temporadas. No entanto, já havia um acordo entre as partes de que a marca perderia o principal espaço na camisa caso a diretoria recebesse uma boa proposta para estampar a frente de seu uniforme. O Atlético ainda vai definir onde ficará a marca da MRV na nova camisa.

Futebol